Publicado em 21/09/2006 10:45

A agonia da Música Popular

A Música Popular Brasileira (MPB) nunca esteve tão em baixa e em tanta agonia de morte como agora...

A agonia da Música Popular Basileira

A Música Popular Brasileira (MPB) nunca esteve tão em baixa e em tanta agonia de morte como agora. De uns 15 ou 20 anos pra cá a qualidade da nossa música foi levada, em quantidades cavalares, a um nível tão baixo que dá pra sentir vergonha de dizer que somos brasileiros quando o assunto é musica atual.

O brasileiro é conhecido por seu gosto eclético. Talvez pelo fato de sermos um povo de tamanha miscigenação, uma mistura de várias raças que trouxe tantas influências ao longo de nossa história.

Contudo, nossas preferências, artisticamente falando, tem-se tornado mais pobre a cada novo ano que surge. Há gosto para tudo, e em termos musicais, penso que nem o bom gosto exista tanto assim. Tudo o que surge no rádio, TV, internet, nas lojas do ramo e no mercado negro da pirataria (que não é de todo ruim assim) a galera cai de boca sem sequer experimentar para ver se realmente presta para o consumo humano ou não. Na maioria das vezes é puro lixo, pois, o mercado fonográfico, em todas as formas de apresentar e explorar a música, não está nem aí para nada. Querem mesmo é vender cada vez mais produtos de curta duração artística. No entanto, devido às intensas repetições nos vários meios de comunicação de massa isso acaba perdurando tempo demais, pois, quando se explora um determinado filão como aquele ritmo que pregam ter vindo do Pará (de onde nunca deveria ter saído) e que ficou conhecido por calipso (que de "calypso" mesmo não tem nadinha) é uma boa prova disso.

O sucesso é tamanho que ocorreu uma proliferação de imitadores da banda que começou toda essa bagunça. Existem aproximadamente vinte bandas cantando e fazendo tudo do mesmo jeito quando das apresentações das coreografias, impostações vocais, letras fúteis e vazias e outras semelhanças. Dá nojo. A forma de cantar das vocalistas é muito parecida que não dá pra notar quem são os verdadeiros e quem são os falsos. Imitam descaradamente o original até mesmo no visual de mau gosto brutal. Um misto de Heavy Metal dos anos 80, prostitutas da zona portuária e as Dançarinas de Axé. Breguice total. No Pará dá certo tendo em vista que esse ritmo que está mais para a lambada e é característico das regiões do norte do país. O estado Goiás ganhou a fama (ou estigma) de ser o estado que lança as melhores duplas do tal "sertanojo" ou "breganejo". É chato quando se chega a outros estados e o pessoal local comenta sobre essa nossa veia artística e até nos pedem para que cantemos alguma coisa do gênero.

Não há como argumentar com a turma que está inserida nesse grande "oba-oba" da música ordinária. Se você insistir em classificar determinados gêneros que prefiro nem chamar de musical, apesar de se valerem das noções básicas dessa arte que é a melodia, harmonia e, principalmente, o ritmo, você corre o risco de ser agredido física ou verbalmente. Certos "trabalhos musicais" são uma afronta aos ouvidos dos mais sensíveis. É uma pena, um grande pecado.

De quem seria a culpa? Do brasileiro com sua alegria sempre tão contagiante e a facilidade de aceitar tudo com o tal "bom humor" de sempre. O brasileiro que adora festas e muito agito? Seria o mercado fonográfico em parceria com as redes de televisão aberta com suas programações repetitivas e pobres (exceção da TV Cultura)? Seria a culpa do pseudo-artista com seu trabalho ultra-comercial e totalmente descartável ou seria da mídia no geral corrompida pelo famoso "JABÁ"? Quem sabe a incultura de grande parte da nação brasileira a qual se referiram os Tropicalistas em 67 quando do surgimento do movimento? Eu acredito que seja um pouco de tudo isso elevado a milésima potência do sistema educacional falido, o descaso da política corrupta de nosso país que nos mantém sob um estado brutal de cegueira devido a certas ideologias pregadas desde os primórdios lucrando assim com a nossa ignorância e estupidez terceiro mundista.

Não me interessa falar da música estrangeira por agora. Sou brasileiro e sei que anos atrás a MPB era de altíssima qualidade. Gosto de muita coisa que vem de fora, mas é preciso ser seletivo também. Ser seletivo sim é ser eclético. A cultura inútil existe e pode te acertar a qualquer momento.

Quer saber? Acho que isso é culpa da chamada globalização. Sim, isso mesmo. O efeito é tão devastador dentro da cultura que, através da música que é a arte das artes isso tem causado danos irreparáveis nas pessoas. Um exemplo são os nomes de geniais artistas como Tom Jobim, Raul Seixas, Beatles, Chico Buarque (que hoje é mais um escritor do que compositor e cantor), Elvis Presley dentre outros tantos. Estes há alguns anos atrás eram vistos como imortais. Jamais seriam esquecidos. A nova geração (com muitas exceções é lógico) que está surgindo agora, fissuradas em intermináveis bate-papos via internet e outras futilidades, pouquíssimos deles já ouviram falar desses ícones da música mundial.

Ou seja, os grandes da música brasileira e mundial estão sendo esquecidos muito rapidamente assolados por estilos como esse atual Eletrônico podre e repetitivo surgido das raves regadas de novas drogas e luxúria, longe daquele feito nos idos de 70 e 80, o Breganejo com suas letras HORROROSAS e cafoníssimas falando da mulherada fácil, de muuuuuuuita cerveja e festa de peão, o pobréééééééérrimo, paupéééééééérrimo Axé com suas micaretas safadas e oportunistas, o já falado calipso e seus clones ziz. Enfim, uma pobreza generalizada. Não quero nem falar da pornografia e vulgaridade do fraquíssimo Funk (de funk só tem mesmo é o nome) ou até o Rap, com raríssimas exceções, que agora deu em alguns casos de fazer apologia ao crime e à violência. Sem criatividade, sem o ideal do começo. Até o Pop e o Rock estão deturpados pelo mercado brasileiro atual (veja bem. Estamos falando de música popular brasileira) com umas bandinhas tão "fubazentas" por aí que dá nojo. Ainda bem que existem os resistentes e os alternativos. Mas, a pior praga dentre os supra citados são os tais dos DJs. Esses são como um câncer dentro da MPB.E há alguns nomes desse ramo que ainda se acham no direito de serem reconhecidos como músicos.

Mexer no que está pronto e tornar arte em lixo é a coisa mais fácil do mundo tendo à mão os vários programas que podem ser baixados pela internet. Disk Jokey é o sujeito que trabalha a música sem deturpá-la ou explorá-la comercialmente com fins benéficos próprios. Sua função maior é a de divulgar a arte e o artista através do rádio (procurem a tradução de Radio Ga Ga do Queen e vocês saberão quão importante foi e ainda é este veículo de entretenimento, cultura e conhecimento).

O primeiro DJ do mundo foi Alan Freed que tratou cunhar um novo estilo que surgia e fazendo com se tornasse no maior sucesso sendo uma fusão do Blues, Country e o Gospel norte-americano. O Rock and Roll.

O cenário musical mundial está ficando cada vez mais pobre e sem grandes atrativos. Porém, o que nos interessa primeiramente é a nossa música. O Samba, a Bossa Nova, o Sertanejo, o Caipira, a Moda de Viola, a música regional com seu folclore e cultura, isso sim é que deve ser levado em conta a priori. As pessoas às vezes me pedem que cante certas canções de gosto duvidoso as quais me recuso. Ainda não entenderam que sou um defensor da música de alta qualidade, que nesse quesito sou mesmo um chato e que adoro consumir, investir meu pouco dinheiro com o que é bom e original sem desdenhar da pirataria desenfreada que aí está. Saibam que aprecio até mesmo aquele estilo Brega genuíno.

Respeito nomes como o cult Odair José, Oswaldo Bezerra o rei do brega ou o falecido e grande cantor e compositor goiano Amilton Lelo dentre outros. Gosto de Heavy Metal, Punk, Clássico, Experimentalismo, Pop. Enfim, como já disse outrora, tudo o que é bom e genuinamente feito com dedicação e como forma de expressar a arte.

Em memória do grande humorista Bussunda.

Um abraço para os alunos e funcionários do Colégio Dom Emanuel (Damolândia), Ari Valadão Filho, Rui Barbosa e o 4º Ano de Letras da UEG de Inhumas.

Marcos Borges

Marcos Borges

Cursando último ano da faculdade de Letras pela Universidade Estadual de Goiás
Professor de língua inglesa e música com trabalhos nos bares, restaurantes e outros eventos da cidade. Marcos trabalha também como produtor e arranjador no estúdio Garage Days.

COMENTÁRIOS

Comentar usando as redes sociais

Caixa de comentários TUDOIN


Resposta ao Comentário (Cancelar)

Lista de Comentários

Júnio
26/12/2010 07:22

nada de novo

Não há nada de novo na música brasileira e nem no seu texto que repete a mesma ladainha (calypso, sertanejo, etc...) de sempre. A música goiana evoluiu e muito nos últimos anos. O problema é que a imprensa não evoluiu. Não cobrem eventos, artistas, movimentos. Dae ninguém fica sabendo o que está acontecendo no Estado. Quer um exemplo: Goiaba Rock ( ou Brasil Central Music em Rede) ae em INhumas. Começa na quarta-feira e eu não vi uma divulgação sequer, inclusive neste site. VERGONHA!
Bruna
22/06/2010 13:20

O mundo tá perdido

Cara, você tá totalmente certo ultimamente as pessoas não sabem mais o que é ouvir e apressiar a musica calipso mesmo a vocalista força a voz e fora as letras.Eu gosto realmente de um bom rock mas ultimamente tá tendo essas bandas que querem imitar o bom rock de antigamente como essas de emo são tudo sem noção.Você simplesmente falo Tudo!!! Apoio totalmente...
Gabriel Macêdo
16/11/2009 14:23

Devíamos ser patriotas!

Essa é a dura verdade do brasileiro que preferi ouvir o que é mais (fácil) de se ouvir e dançar.Podíamos passar por uma revolução do mercado fonográfico.Preservar a nossa cultura "O Samba, a Bossa Nova, o Sertanejo, o Caipira, a Moda de Viola, a música regional com seu folclore e cultura".É a pura verdade.Concerteza o Carlos Borges é um defensor do MPB.Um patriota que devíamos ser.
Caroline Soave
14/11/2012 16:53

Concordo com você Valmir Felix, mesmo porque já vi o seu trabalho e sei que você fala com conhecimento de causa "Por Exemplo, “Detesto musica Sertaneja Universitária "sou Universitária e confesso que me sinto envergonhada. É sempre a mesma porcaria de letra, que a mulher chifrou que levou um fora..bla bla bla bla bla bla....sempre aquela dor de corno uma melodia irritante e uníssono ! Nunca passam alguma mensagem que preste nas letras...Eu não suporto nem ficar perto de pessoas que gostam disso aaaaaaaffffff, Eu fico com vergonhas das outras mulheres, que curtem essa porcaria e nem notam, de que a letras só degrade elas próprias, é horrível, “e da Pena”.

Valmir Felix
06/11/2009 12:57

Simplismente voCê só disse a verdade.

Simplismente vc,só disse a verdade,da maneira certa que deveria ser dita,e as pessoas que se sentirem magoada com que vc
disse,pode ter certeza de uma coisa,essas são as escoria desse pais de terceiro mundo,essas são os que fazem esse lixo sonoro ,se proliferar,como erva daninha."vc tem todo o meu apoio"lembrasse vc não esta sozinho...
Douglas Veronez Sanatana
02/10/2009 16:33

Vivemos num país em que música não é arte

Sem dúvida nemhuma a MPB tem suas relíquias inestimáveis, entretanto, na minha opnião a musica aqui no brasil acabou se tornando um meio de vulgarização da cultura.A todo momento observamos somente as "sensações do momento" de forma que acabamos isolados da "verdadeira cultura" até mesmo pela própria mídia.Além disso os novos gostos adquiridos pelo povo (se é que pode ser chamado de gosto),são apenas rítmos que "agitam a galera" e nada mais...
De qualquer forma, a conclusão final que se tira é que estamos sendo "isolados" da cultura de maneira involuntaria e que por isso, acabamos por nos tornar meros ignorantes funcionais.
Washington da Cruz dos Santos
14/03/2008 14:32

Música Popular Brasileira

Estava procurando a letra de uma música brega quando encontrei esse Comentário... Eu Pensei que fosse o único que acha que a Cultura no Brasil de modo geral está lamentável. O motivo deste é para dizer que me solidarizo com a opinião acima!!!
O brega mais querido da goiabeira
05/11/2007 20:38

Se tu não quer tem quem queira

Ô cara tu não foi feliz nessa matéria. Tem muita gente que gosta rapá desse tipo de breguice, e ainda ta generalizando a turma do Pará. Mas vem cá, ridiculo mesmo é esse teu cabelo, que que isso!!!....desde que te conheço você anda com esse rabinho. Você sabia que na goiabeira tem salão de beleza??????Mas tudo bem, gosto é gosto!!! Fica com esse rabinho,e eu com minhas popozudas. Com todo respeito amigo.
Marcos Casteli
05/11/2007 20:17

musca popular

mi ardi o oiii mi arde o vido mi arde o oi essa fumazzza que sai desse trem fidido. zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz zzzzzzzzzzzzzzzzz zzzzzzzz zzzzzzzzzzzzz zzzzzzzzzzzzz zzzzzzzzzzzzzzzzz zzzzzzzzzzzzzzzzzz
emilia
08/08/2007 10:10

música popular

música
Evandro Amorim
12/06/2007 17:13

a agonia da mpb

Caro Marcos, parabéns por sua crítica.Vc realmente tem uma visão ampla sobre música.Eu trabalhei em rádio, um certo período mas,os pedidos, as preferências musicais das pessoas é uma negação.Sou Alagoano,e, em Alagoas é muito é um horror.O gosto musical quase generalizado.
Irlana Leal de Paula
23/05/2007 14:50

a agonia da música popular

Nasci em Inhumas, mas moro em São Paulo. Como pretendo visitar a cidade onde nasci no próximo mês, iresolvi me inteirar um pouco mais sobre ela. Foi aí que li o seu artigo. Achava que só as grandes cidades estavam sendo vítimadas por tal agonia. Divulgar o que é bom é uma das soluções para esse caos. Façamos isto!
Ronaldo Antonio Augusto Corradi
02/05/2007 01:06

A agonia da musica

Felicitações pela sua colocação, no comentário, sobre nossa música. Precisamos lembrar tambem da verdadeira musica genuína brasileira: o choro, baluarte de solistas, nos instrumentos de corda, sopro e percussão. Que pena dá em ver os lixos musicais tomarem tanto espaço. Ainda bem que os calipsos afundarão logo,logo! Parabéns!!!
Luciano Silva Roriz
23/11/2006 20:28

Lucidez

Boa noite, Caro Marquinhos vc é desses caras cuja visão precisaria ser mais divulgada, pois vc escreve c/ uma lucidez que poucos que fazem Música têm nos dias de hoje. Continue, estarei acompanhando... Boa Sorte! Prof. Luciano S. Roriz
Fernando
26/09/2006 09:00

É isso aí!!!

caraaa, com certeza esse é o comentário absolutamente certo e acho q vc devia tá em todos os meios de comunicação do país..Continue defendendo a boa música, também sou músico e estamos juntos nessa luta...Parabéns!!