Publicado em 18/08/2007 11:19

A DÉCADA REVOLUCIONÁRIA

Para falar da década de sessenta do século XX, seria necessário mais que essas breves linhas. Este artigo tem como objetivo, trazer algumas reflexões que fui buscar juntos aos meus amigos, o historiador Mario Scmith e o jornalista uruguaio Eduardo Galean

Para falar da década de sessenta do século XX, seria necessário mais que essas breves linhas. Este artigo tem como objetivo, trazer algumas reflexões que fui buscar juntos aos meus amigos, o historiador Mario Scmith e o jornalista uruguaio Eduardo Galeano.

Os anos 60 foram de fato revolucionários no planeta inteiro. Mudanças significativas aconteceram, por isso, é tão importante focarmos nessas transformações no qual a juventude teve tanta influência para as novas concepções que veio a surgir o poder jovem, foi a grande e maravilhosa utopia dos anos 60. A idéia básica dessas geração era contestar o sistema contra a alienação em favor da conscientização, derrubar a repressão e construir a liberdade.

O fascinante sentimento contagiava corações e mentes, que sabiam que para chegar a tal mudança não viria da ação de alguns indivíduos, mas da consciência de todos. Foi uma geração que acreditou na luta política. Para eles tudo era político, tudo podia ser visto em termos de libertação, da conscientização contra a alienação. Mas a política não era apenas em relação ao Estado. O Estado capitalista era desprezado, os políticos burgueses execrados. Porque tudo envolvia poder tudo era político:a cultura, a relação homem-mulher, o sexo, a família, a arte, as drogas. A mudança não seria só econômicas e políticas, mas , também, na mentalidade, nas relações entre indivíduos, todas asa instituições deveriam ser contestadas.

Vejamos que a ciência nesta década revoluciona o planeta. Em meio a uma corrida espacial estimulada pelo calor da guerra fria, os soviéticos lançam o primeiro homem no espaço Iuri Gagárin. Os americanos colocaram o primeiro na lua Neil Armstrong. No campo da biologia a ciência conseguiu reproduzir o DNA a estrutura química responsável pela hereditariedade, as pílulas anti-concepcionais chegam ao mercado impulsionando os movimentos feministas, contra o machismo ocidental. A mulher conquista o direito da liberdade sexual o uso e abuso do corpo, a mulher conquista o direito a liberdade sexual o uso e abuso do corpo, a mulher deixa de ser uma simples genitora, escrava doméstica e sexual. O amor livre e discernido contra a opressão sexual.

Freud o pai da psicanálise mostrou que a sexualidade é fundamental para determinar a individualidade humana. Nessas inspirações que ficou conhecido uma das mais famosas pichações das ruas de Paris: "Quanto mais eu faço amor mais sou revolucionário, quanto mais eu sou revolucionário mais eu faço amor". Hebert Marcuse dizia que o capitalismo avançado transformava todo mundo em consumidor passivo, bitolava até as relações sexuais criando um homem dimensional.

Nem todos os jovens impulsionados com a construção do Muro de Berlim e com o pôster mais reproduzido do século XX, do Che Guevara um dos lideres da revolução socialista em cuba, sonharam com uma revolução comunista, muitos se apoiaram, na utopia fascinante da paz e do amor, deixaram a guerrilha de lado se apoiaram em homens pacifistas como Marthir Luter King e gandhi, também na doutrina de Buda.

E o mais interessante que a juventude como segmento de mercado consumidor surgiu exatamente na década de 60. A juventude passou a ser alvo das industrias, daí a necessidade de produtos que atingissem esse público, interessada nos lucros essas indústrias buscou em criar mercadorias que não fossem "quadradas", "careta", "por fora". Essas mercadorias se espalharam pelo mundo, refrigerantes, boates,motocicletas, remédios etc.

No campo cultural destaco um dos maiores fenômenos do rock, a banda de Liverpol The beatles. Em 1963 eles lançaram She loves you e deram inicio ao iê iê iê. Em 1967 inauguraram sua fase psicodélica com o álbum Sargent Peppers Loney Hearts Club band, com recursos eletrônicos e indiretas para temas dos jovens da época como drogas, solidão no meio da massa, sexo, misticismo oriental. Também influenciada pelo blues a banda Roling Stones lançam I can get no satisfaction, uma ácida ironia ao homem da sociedade de consumo que compra sem parar e nunca se satisfaz. Um lindo movimento de contra cultura no festival de Woodstock dezenas de milhares de jovens se reuniram para contestar a família burguês, a sociedade industrial de consumo, a cultura da guerra. Patrocinado pelo movimento hippie que foi uma das diversas manifestações de rebeldia, esse movimento ultrapassou as fronteiras dos Estados Unidos, mas foi perdendo a força ate desaparecer por completo, às esperas da década de 1980 quando a sociedade de consumo e o individualismo voltam com toda força.

Na década de 60 destaca-se também a geração beat que penetrou nas estações do inferno e iluninaçoes de Allen Ginsberg e seus companheiros hpsters e nas estradas literárias de On the road de Jack Keroac. Mas vou deixar para falar dessa geração especificamente em outro artigo.

 

Neimar Carlos

Neimar Carlos

Superior Incompleto em História, Curso técnico em Mineração e curso técnico em Patologia Clínica
Iniciação Científica (CNPQ) - Massacre de Canudos no imaginário da literatura brasileira - Universidade Católica de Goiás. Afro Descendência em Goiás - Universidade Estadual de Goiás - Professor do Colégio Monsenhor nesta cidade.

COMENTÁRIOS

Comentar usando as redes sociais

Caixa de comentários TUDOIN


Resposta ao Comentário (Cancelar)

Lista de Comentários

Daniel lucas
13/07/2011 10:39

e nao tinha erros de digitação como eu fiz

Ética Cristã rsrsrsrs

Bom essa sociedade nao difere muito da de hj ao contrário, ao meu ver, antes havia um sentimento de ideologia e vontade de mudanças, nao o conformismo e a acomodação de hj, juntamente com as drogas o sexo a pedofilia, o erotismo da tv e muito mais. Abs.
Daniel lucas
13/07/2011 10:34

Ética Cristã rsrsrsrs

Bom essa sociedade nao difere muito da de hj, peloao contrário ao meu ver, ates havia um sentimento de ideologia e vontade de mudanças, nao o conformismo e a acomodação de hj, juntamente com as drogas o sexo desenfreiado, a pedofilia, o erotismo da tv e muito mais. Abs.
CARLOS ALEXANDRE FALQUE
30/05/2009 18:09

História da diécada de 60

olá! colega de profissão,eu sou prof,de Ética Cristã,foi bom o seu pensamento sobre esse movimento mas, faltou vc comentar que essa geração não teve limites,eles violaram, quebraram principios éticos e morais; tipo:
1)-liberdade para fazer sexo,antes do casamento contrariando a Bíblia
2)- libertade para usar droga,levando milhares pessoas á roubar,e a destruiçao familiar para satisfazer seus vicios
3)-eles queriam viver em um mundo sem regras, a sociedade só existe porque tem regras
avida é feita de regras meu chapa, na familia, na sociedade,etc divulgue isso também, sem crise um abraço e meu respeito colega.
Alberto Siqueira Santos
21/08/2008 18:58

....

O texto é repleto de incoerência e inconformidade juvenil. O autor, protomarxista de plantão, usa referências menores para debater o tema - veja o comentário de Cris Alvarenga. Para piorar, os erros de concordância e coerência tornam a coisa impossível de se ler. Sugiro um tratamento gramatical, para não falar em outra limitações. kkk
Cristiano Alvarenga
15/05/2008 00:56

revolução

Muito do que li no texto do autor me agradou. Contudo, gostaria de dizer que Eduardo Galeano nem o tal Schmitt são referencias suficientes para explorar a década em questão. Tente alguma coisa de esquerda um pouco mais veemente e acadêmica, não no sentido pejorativo, como Hobsbawm e Perry Anderson. Viva la revolucion camarada!
jana
19/04/2008 10:11

ciência da decada de 60

fale um pouco sobre a ciência da decada de 60
...
05/01/2008 21:19

....

estou esperando seu futuro artigo...aliás, sem erros de concordância do tipo os que averiguei agui...fi, vc insiste em lutar contra o q? Para piorar, é fraco em seus argumentos e estilo! Que tal estudar de verdade?
Christiene B. Arantes.
01/10/2007 18:49

Conquistas

Esse artigo mostra como a década de 60 foi fundamental para a ciência, a cultural, a sociedade e à musical. De um âmbito geral mostra o papel dos jovens, das mulheres, as revoluçòes e as conquistas que marcaram o mundo. Neimar esse artigo é único. Parabéns!!!!
Taynara
10/09/2007 21:07

Simples e completo

Adorei o artigo!De uma forma simples foi mostrada todo o papel dos jovens na decada de 60.Como revolucionarios essa geração lutou contra a opressão do sistema e consequentemente contra o pensamento fechadoda sociedade da época.Vale ressaltar a maneira perfeita com que esse movimentos do mundo inteiro foram intercalados no texto.Neimar está de parabens!
Carla Moreira
10/09/2007 19:57

Geração de mudança

No artigo acima pode-se perceber todos os grandes movimentos da geração dos anos 60. Eles lutaram pela sociedade que temos hoje e foram de grande contribuição, é claro. A liberdade de expressão foi um dos grandes legados dessa geração, que fez com que agora, nós jovens pudessemos nos expressar mais livremente! Ótimo artigo!
Bruno
06/09/2007 20:21

Mito bom!!!

Muito legau , mostrar que pelomenos na década de 60 nós tivemos força e lutamos para mudar a realidade. Acredito que nos dias atuais esses fatos poderao se repitir, basta querermos.
Amanda Fernandes
05/09/2007 20:22

Visão de mundo!!!!!!!!!

Nesse artigo podemos perceber o que aprendemos em sala de aula sendo aplicado em nosso cotidiano,em nossa vida.Percebemos que o jovem foi sendo inserido na sociedade de uma forma muito turbulenta mas que fez com que hoje em dia possamos expressar nossa visão de mundo de uma forma clara e objetiva.Professor obrigado por nos fazer perceber o mundo com outros olhos e perceber o quanto e bom aplicar a historia,a sociologia e a filosofia em nossas vidas ja que a cada dia construimos um pouco dessas.Enfim parabéns pelo artigo!!
Antonio Leonardo Bettanin
27/08/2007 03:35

Maravilhoso texto!

Mais uma uma vez o professor Neimar mostra o seu potencial, e nos presenteia com mais um de seus belos textos. Parabéns!
lívia
23/08/2007 16:21

é...

....uma satisfação ler um artigo tão bem fundamentado historicamente, mostrando que vc Neymar supera cada vez mais os achismos e clichês da sociedade....Abordando o tema de forma critica e objetiva. Valeu!!!!!(bjos)
Arthur Mendes
23/08/2007 14:12

melhor de todos

O professor Neimar Carlos tem uma capacidade incrivel de ver o mundo com os verdadeiros olhos de um historiador coerente, seus textos sempre enrriquesse a vida cultural de quem os ler, con sinceridade foi o melhor professor que ja tive.
Welington Rodrigues
22/08/2007 17:09

Década de 60

Legal este artigo, pois lembra bem os tempos difíceis e as mudanças no comportamento da juventude, chamada de transviada, porém que era apenas resultado da revolta com determinados modelos impostos pela sociedade burguesa. Na verdade é importante discutir o passado para compreender o presente, uma vez que vivemos um perfeito pendulário, ou seja, sempre voltamos no tempo em relação a coisas e comportamentos, exemplo: modelo de roupa, carro, objetos pessoais, tido de corte de cabelo.