Publicado em 26/12/2007 11:29

A superior avestruz

Quem não tem algum amigo que fica feliz quando é convidado a saborear uma picanha?

Ao me ver em Goiânia, certo amigo encostou seu carro caindo aos pedaços perto de mim. Fiquei admirado pela aparente decadência. A gente não se encontrava há bastante tempo. Apesar de sorridente, estranhei sua magreza. Contou que passara por muitas e outras, confessando que tivera a burrice de arriscar todas as suas economias na tal de Avestruz Master... e tiau, suado dinheiro. Perdera os companheiros de cervejinhas e assados dos fins de semana. Perdera tudo, logo ele, que adora churrasquear.

Afinal, quem não tem algum amigo que fica feliz quando é convidado a saborear uma picanha (menos, é claro, o jornalista Ton Alves, que abandonou os desejos carnívoros)?

Outros churrasqueadores, que se dizem moderados, optam pela carne de frango, argumentando que é mais leve que a vermelha, lembrando que a comilança de carne vermelha é prejudicial ao organismo humano, pelo excesso de proteínas e favorecimento de cálculos renais.

Para quem não dispensa a carne, haverá opção além da bovina e galinácea fornecidas pelos matadouros? Muitos afirmam que sim. A solução estaria numa grande ave corredora da África e da Arábia: a avestruz. É uma ave sociável, vivendo em grandes grupos; na procriação, constituem pequenas famílias, um macho para cada duas ou quatro fêmeas. E embora sejam desconfiados, os avestruzes machos não são tão machos assim, porque são eles que chocam os ovos, de seis a sete semanas; e é no chão, porque as danadas das fêmeas não sabem o que é preparar um ninho. Evidentemente, essas regras naturais não se aplicam nos criadouros dos frigoríficos.

Não obstante sua grande força, avestruzes não conseguem voar, porque suas asas são curtas, mas, correr é com eles.

Agora, é duro tocar no assunto. Como é a carne de avestruz? Se é recente no Brasil, para os romanos é velha conhecida. Nos tempos do Império Romano, lá eles tinham especial apreço à carne de avestruz, à qual atribuíam  virtudes afrodisíacas. E uma surpresa: vermelha como a bovina, dizem hoje ser mais leve que a carne de frango e mais nutritiva que a de vaca. Assim, a picanha iria pras cucuias, e a carne de avestruz para as alturas. Pelo menos para os carnívoros preocupados com a saúde.

No caso de Goiás, parece que a Avestruz Master está com a falência decretada. Uma pena, mas, conforme noticiário, a empresa  tem estoques de carne armazenada. Por que os administradores da massa falida não fazem uma campanha (honesta), divulgando as qualidades do produto e vendendo o estoque remanescente? Talvez aliviasse um pouco os credores, os coitados que foram na conversa de mirabolantes promessas de lucros.

Aos arrasados por perdas financeiras, iguais ao meu pessimista amigo, é bom lembrar: não pensem apenas nos prejuízos; passem a acreditar na prosperidade. Os fracassos também ensinam a viver.

Valdemes Menezes

Valdemes Menezes

Trabalhos executados na área de cultura regional. Escreveu as seguintes obras: O Pistolão, O Portão de Deus, O Grande Momento, A Recuperação do Preso e a Segurança do Povo, A invasão do Brasil. Muito Prazer Europa, O Pai do Disco Voador
Radicado em GO e nascido em MG(Ituiutaba), já passou por muitas e outras, de menino rico a jovem pobre. Formou-se com dificuldade no RJ, e, sozinho conseguiu alçar seu próprio vôo: foi redator da então poderosa Rádio Nacional; funcionário do Ministério da Fazenda na ex-capital federal; controlador de vôo da Real(adquirida pela Varig); assistente do diretor de rádio e televisão da McCann Erickson(maior empresa de publicidade do mundo) e se confessa hoje como apaixonado escritor.

COMENTÁRIOS

Comentar usando as redes sociais

Caixa de comentários TUDOIN


Resposta ao Comentário (Cancelar)