Publicado em 03/11/2010 11:57

A vida não pode para

Visita à casa de Cora Coralina na década de 80.

Em 1985 fui procurado pelo Banco Nacional. Queria meu apoio junto a Cora Coralina, para ela permitir sua imagem nas divulgações do antigo banco. Prometi ajudar; só não prometi que ela  aceitaria. Assim, no dia 4 de abril de 1985, decidi ir à cidade de Goiás, à Casa Velha da Ponte. Lá, mostrei à maravilhosa autora um dos seus livros que eu adquirira, onde ela autografou:  "(...) Você, sendo Promotor é um cultor das Boas Letras e um executor da melhor justiça. A literatura deve ser para você um hobby, uma fuga aos pesados trabalhos forenses. Acontece que no seu cotidiano de conhecer condutas irregulares você tem uma saga maravilhosa para sua vibração literária. Aproveite-a. Cidade de Goiás, 18-2-83. Cora Coralina" (dedicatória no Meu Livro de Cordel). Em seguida, no dito 04/04/1985, mencionei o interesse do Nacional em incluí-la nos seus anúncios. Ela aceitou, apenas pedindo para aguardar um exame médico que faria em Goiânia. Na despedida, adquiri mais um livro seu, o terceiro e último que ela publicou em vida, Vintém de Cobre - Meias Confissões de Aninha, autografado com mão trêmula: "Valdemes (...), A vida é boa e você pode fazê-la sempre melhor". Nós nos abraçamos carinhosamente.

No retorno, transmiti ao banco a resposta de Cora, achada ótima. Mas, eis a tristeza: 6 dias depois, Cora Coralina faleceu (10/04/1985), aos 95 anos, sete meses e vinte dias.

Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, a Aninha, a Cora Coralina,  criava e declamava poemas desde os 14 anos de idade, porém, só publicou seu primeiro livro (Poemas dos Becos de Goiás e Estórias Mais) aos 75 anos, depois de ficar viúva, virar doceira e poetisa conhecida no Brasil. Sua filha caçula Vicência Bretas Tahan, escritora e palestrante para público maior de 40 anos, comentou: "É o melhor exemplo que dou às pessoas de que a vida não pode parar" (entrevista em O Popular de 16/12/2001).

Por que me lembrei da humilde  mulher que destacou Goiás? Porque no último dia 20 deste mês de agosto foi o "Dia Estadual da Poesia", a data de nascimento de Cora Coralina. A data foi instituída pela Lei estadual nº 14.866, de 22 de julho de 2004.

É um registro de amor.

Valdemes Menezes

Valdemes Menezes

Trabalhos executados na área de cultura regional. Escreveu as seguintes obras: O Pistolão, O Portão de Deus, O Grande Momento, A Recuperação do Preso e a Segurança do Povo, A invasão do Brasil. Muito Prazer Europa, O Pai do Disco Voador
Radicado em GO e nascido em MG(Ituiutaba), já passou por muitas e outras, de menino rico a jovem pobre. Formou-se com dificuldade no RJ, e, sozinho conseguiu alçar seu próprio vôo: foi redator da então poderosa Rádio Nacional; funcionário do Ministério da Fazenda na ex-capital federal; controlador de vôo da Real(adquirida pela Varig); assistente do diretor de rádio e televisão da McCann Erickson(maior empresa de publicidade do mundo) e se confessa hoje como apaixonado escritor.

COMENTÁRIOS

Comentar usando as redes sociais

Caixa de comentários TUDOIN


Resposta ao Comentário (Cancelar)