Publicado em 29/09/2007 22:40

Avie sua receita e economize

Dicas para economizar ao aviar a receita médica!!!

Vivemos em um país com grande discrepância quando o assunto é saúde. Grandes avanços podem ser observados no combate à AIDS e na pesquisa da genética médica. Entretanto, a saúde pública brasileira enfrenta um grande caos e o preço dos medicamentos é elevado quando comparado ao poder aquisitivo da população.

Diante desse quadro, quando surge problema de saúde em nossa família, logo vem a preocupação com grandes gastos. Isso porque, uma consulta médica particular custa em média R$ 120,00; sem contar os exames clínico-laboratoriais e o aviamento do receituário médico.

Para tentar driblar esses custos temos várias opções. Uma delas é contratar um bom plano de saúde que ofereça cobertura médica adequada. Esse tipo de investimento é como um seguro, onde você guarda o maior de todos os seus bens: a saúde.

Mas o plano médico não é a única maneira de preservar a saúde economizando. Muitas das vezes, o aviamento do receituário médico é o item que mais pesa no bolso de quem está em tratamento. Para economizar nesse ponto, não basta apenas pesquisar em drogarias os preços dos medicamentos. Infelizmente, muitas empresas não respeitam o receituário médico e as Leis sanitárias, substituindo os medicamentos prescritos por outros sem comunicar o paciente.

Uma forma de evitar esse problema é pedir ao médico que escreva de forma legível no receituário o nome dos medicamentos. Se você consegue ler então está menos propenso a cair em golpes de substituições não autorizadas. Outra importante dica é convidar o farmacêutico responsável para acompanhar o processo de dispensação de seus medicamentos. Além de garantir o atendimento fiel à prescrição, esse profissional pode dar importantes dicas para seu tratamento, além de orientá-lo sobre o uso racional, possíveis reações adversas e o armazenamento correto dos produtos.

Hoje, graças a uma política eficiente do governo, nós temos a opção do medicamento genérico. Este é uma cópia fiel do medicamento de referência (aquele que chegou primeiro ao mercado) com custo que representa uma economia real média de 35. Porém, o genérico tem sido usado como uma arma para golpes. O atendente de balcão pode fazer a substituição do medicamento prescrito pelo genérico de maneira errada ou até mesmo mal intencionada. O único profissional autorizado por Lei a fazer a intercambialidade (substituição do medicamento prescrito pelo genérico) é o Farmacêutico, devendo este anotar no receituário a substituição efetuada datando e sobrepondo seu carimbo. Por isso, se deseja economizar comprando o genérico, solicite a presença do farmacêutico no ato.

No atendimento à sua receita, pode ser oferecido o medicamento similar. Este possui mesma indicação, mesma posologia, mesma forma e mesmo princípio ativo em relação ao medicamento de referência e ao genérico. Porém, pode diferir em alguns pontos, como por exemplo, a constituição dos excipientes. O similar pode e deve ser usado pela população, pois é mais uma opção terapêutica que pode representar economia. Existem regras especiais para a dispensação desse tipo de produto (RDC 51/2007); para maior segurança, se você preferir economizar comprando o similar, procure a orientação do farmacêutico.

Os programas sociais estão possibilitando economia à população que necessita de medicamentos de uso contínuo. A Farmácia Popular oferece medicamentos para tratar doenças como hipertensão e diabetes com economia real de até 90. Hoje, esse programa também se estende às drogarias da rede privada e o acesso está bem mais fácil. Grandes redes, como as Drogarias Santa Marta, estão incluídas no programa e vendem os medicamentos pelo preço praticado na Farmácia Popular.

Outro importante avanço social foi a promulgação da Lei que autoriza o fracionamento de medicamentos em drogarias. Com isso, algumas especialidades farmacêuticas podem ser vendidas na quantidade prescrita pelo médico, evitando as sobras e diminuindo os custos. O profissional autorizado a fracionar é o Farmacêutico. Consulte sempre a possibilidade de comprar o medicamento fracionado para também economizar.

Não podemos esquecer da velha e boa pesquisa de preços. Atualmente o mercado farmacêutico está muito concorrido, o que faz com que os preços caiam e os descontos subam. Muitas empresas costumam trabalhar com campanhas, o que faz com que os preços de algumas linhas de medicamentos fiquem bem mais em conta. Por isso, a última dica é: não compre no primeiro lugar que parar, consulte antes o preço na concorrência e não deixe de pechinchar. Não se esqueça de comprar em uma empresa idônea e sempre se oriente com o Farmacêutico.

Julierme Gonçalves

Julierme Gonçalves

Farmacêutico pela UFG, Mestre em Ciências Farmacêuticas pela USP/RP e Doutorando em Química de Produtos Naturais pela UFG.

COMENTÁRIOS

Comentar usando as redes sociais

Caixa de comentários TUDOIN


Resposta ao Comentário (Cancelar)