Publicado em 26/10/2006 10:32

Comer Bem, Viver Melhor

Encontrava-me desempregado e os cereais e os bifes suculentos que amávamos tanto desertaram dos nossos pratos

Não sei se rio ou choro diante do referido tema...

 

Volto há dezessete anos, quando estava casado há apenas um e minha esposa esperava nossa única filha. Encontrava-me desempregado e os cereais e os bifes suculentos que amávamos tanto desertaram dos nossos pratos. E nossos molares ficaram a ranger uns nos outros por três longos dias que pareciam eternos.

 

Aquela situação por mais sombria, desesperadora e humilhante, ainda era viver bem, pois em nenhum momento fugi dos ensinamentos de berço. Confrontamos com a fome temendo suportar dores maiores, advindas de atitudes errôneas que viéssemos a tomar em nome da necessidade.

 

A água era, portanto, nossa única e sagrada refeição diária.

 

Foi então que um programa social do governo alcançou-nos, fornecendo sopas e mingaus.

 

Sob o olhar de alguns, aquele alimento era uma literal ofensa à população carente. Mas para nós, inclusive minha filhinha que já revirava aflita no útero da mãe clamando por comida, aquela sopa fumegando nos pratos, há muito vazios, representou um banquete onde nos sentimos realeza.

 

O sorriso por um "insignificante" mexido, se sobrepôs às lágrimas famintas.

 

O que seria COMER BEM E VIVER MELHOR? Seria ter fome e ter o que comer, ou não ter o que comer e a fome não ter?

 

COMER BEM, VIVER MELHOR, não se resume apenas no encher a barriga com os prediletos. Pode estar no mais humilde gesto de aceitar e se comprazer no alimento, seja ele qual for que esteja em nossa mesa, ou até mesmo, se ainda não houver uma mesa.

 

Concurso de Redação III GOIÁS NA PONTA DO LÁPIS 2005

Realizado pelo JORNAL TRIBUNA DO PLANALTO.

 

Premiação: 1º lugar categoria E, na Subsecretaria Regional de Educação de Inhumas.

3º lugar categoria E, na Final Estadual em Goiânia-Go.

Não sei se rio ou choro diante do referido tema...

Volto há dezessete anos, quando estava casado há apenas um e minha esposa esperava nossa única filha. Encontrava-me desempregado e os cereais e os bifes suculentos que amávamos tanto desertaram dos nossos pratos. E nossos molares ficaram a ranger uns nos outros por três longos dias que pareciam eternos.

Aquela situação por mais sombria, desesperadora e humilhante, ainda era viver bem, pois em nenhum momento fugi dos ensinamentos de berço. Confrontamos com a fome temendo suportar dores maiores, advindas de atitudes errôneas que viéssemos a tomar em nome da necessidade.

A água era, portanto, nossa única e sagrada refeição diária.

Foi então que um programa social do governo alcançou-nos, fornecendo sopas e mingaus.

Sob o olhar de alguns, aquele alimento era uma literal ofensa à população carente. Mas para nós, inclusive minha filhinha que já revirava aflita no útero da mãe clamando por comida, aquela sopa fumegando nos pratos, há muito vazios, representou um banquete onde nos sentimos realeza.

O sorriso por um "insignificante" mexido, se sobrepôs às lágrimas famintas.

O que seria COMER BEM E VIVER MELHOR? Seria ter fome e ter o que comer, ou não ter o que comer e a fome não ter?

COMER BEM, VIVER MELHOR, não se resume apenas no encher a barriga com os prediletos. Pode estar no mais humilde gesto de aceitar e se comprazer no alimento, seja ele qual for que esteja em nossa mesa, ou até mesmo, se ainda não houver uma mesa.

Concurso de Redação III GOIÁS NA PONTA DO LÁPIS 2005

Realizado pelo JORNAL TRIBUNA DO PLANALTO.

Premiação: 1º lugar categoria E, na Subsecretaria Regional de Educação de Inhumas.

3º lugar categoria E, na Final Estadual em Goiânia-Go.

Ivan Zarur

Ivan Zarur

Inspirado pelas suas professoras, aventurou-se no mundo da Literatura aos sete anos de idade. Seus primeiros trabalhos publicados foram em forma de cordel: "O Velho Ricardino" e "Não conseguiu e para o Céu subiu". Com "Mundo e Mudanças" venceu o Festival dos Campeões de Itaberaí-Go.
Publicou vários trabalhos na revista Diadema Real, da Editora Cristã Evangélica do Brasil, entre eles, "Transformação", "Coisas da vida", "Mãe" e "Pastor Amado". Minha BIOGRAFIA completa, bem como outras de minhas obras estão disponíveis no meu site: www.zarur.no.comunidades.net

COMENTÁRIOS

Comentar usando as redes sociais

Caixa de comentários TUDOIN


Resposta ao Comentário (Cancelar)