Publicado em 02/11/2006 02:12

Concisão Parlamentar

O parlamento é da essência dos países evoluídos politicamente, sendo essencial à democracia.

O parlamento é da essência dos países evoluídos politicamente, sendo essencial à democracia. O termo vem do verbo parlar, que por sua vez deriva de parolar, que quer dizer falar muito.

O que me chama a atenção nestas casas de leis, assim como no Judiciário, é a linguagem formal usada. É Vossa Excelência pra lá, Vossa Excelência pra cá. Quando o debate é de padrão elogiável, educado, o que é a regra, nada de novidade. O interessante é quando baixa o nível, o que é a exceção. Como regra não tem graça, vamos tratar da última. Vejamos um debate hipotético:

- Vossa Excelência me permite um aparte? - diz um deputado.

- Não excelência. Não permito - responde o outro

- Por que Vossa Excelência não me permite um aparte?

- Porque Vossa Excelência nunca tem nada de valor a acrescentar.

- Vossa Excelência está me chamando de burro?

- Vossa Excelência é que o diz.

- Se eu sou burro, Vossa Excelência é um fé-da-puta. Mas eu não me importo, porque o que diz Vossa Excelência a respeito de minha fraca e humilde pessoa entra num ouvido e sai no outro.

- Isto não é possível.

- Porque não?

- Porque o som não se propaga no vácuo.

Não raro saem para as vias de fato.

Na verdade essas situações não são privilégios do parlamento brasileiro, porque cenas assim são comuns na televisão, e, já vi caso desse naipe até no disciplinado Japão. Portanto, não adianta ficarmos orgulhosos, pensando que é coisa nossa.

Eu publicava o Reflexo em Inhumas, jornal tablóide de oito páginas, e sempre assistia as sessões da Câmara Municipal para fazer a cobertura jornalística. Naquele tempo o presidente da Casa era meu amigo e colega de ônibus Ézio Albino. Ambos estudávamos em Goiânia. Eu fazia Direito e ele Medicina. O Ézio tem muitas qualidades, mas uma que eu particularmente gosto é a sua capacidade de encarar as coisas com humor.

Para não deixar dúvida da independência dos poderes, os edis se reuniam na sede da Prefeitura. O prefeito era o Irondes de Morais. Os outros vereadores daquela legislatura eram: Olício, Antônio Simeão, João Levino, Nego Souto, Vicente Mota, João Vaz, Dagmar Camilo, Abelardo e Hélio Heitor.

Aberta a sessão ordinária daquela noite, o presidente determinou, falando rápido, firme e com voz impostada:

- Determino ao Senhor Secretário que faça a leitura da ata!

O vereador Abelardo Vaz (pai) abriu o livrão e começou a leitura, que era e é sempre enfadonha. O vereador e advogado José Pacheco pediu a palavra:

- Questão de ordem, Senhor Presidente!

- Palavra com o vereador José Pacheco por questão de ordem!

- Senhor Presidente, peço que seja feita uma leitura sucinta da ata.

O presidente:

- Determino ao Senhor Secretário que faça leitura sucinta da ata!

O vereador Abelardo Vaz começou normalmente a leitura, como já fazia. Pacheco novamente pede questão de ordem e diz que havia pedido para ser feita leitura sucinta da ata. Ézio novamente diz: Determino ao Senhor Secretário que faça leitura sucinta da ata. Abelardo olhou para o presidente, para os demais pedindo socorro que não veio, e continuou a leitura. Nova intervenção de Pacheco, nova leitura. Lá pela terceira vez, Ézio Albino escorregou da cadeira, deu uma risada e falou:

- Eu confesso que não sei o que é sucinto.

Foi uma risada geral e a sessão foi suspensa por dez minutos.

Davi Isaias da Silva

Davi Isaias da Silva

Graduado em direito pela UFG, especialista em Direito agrário e Direito penal
Advogado militante em Inhumas e região, atualmente vice prefeito de Inhumas;editor do Jornal reflexo que circulou em Inhumas e região, colaborador do jornal 11 de Maio e Diário da Manhã;Livros Publicados: Cleide Campos pela editora Kelps; Contagem regressiva - contos, Ed. Deescubra, Crônicas da Goiabeira - Ed. América. Premiações: Gremi contos, As formigas, Cento e vinte e um, Metamorfose;Conto Crime Ambiental publicado na coletânea da ALCAI

COMENTÁRIOS

Comentar usando as redes sociais

Caixa de comentários TUDOIN


Resposta ao Comentário (Cancelar)

Lista de Comentários

Vinicius Hayala soyer
10/11/2006 13:21

Risada boa!!

Hehehehee....Caro vice-prefeito, to sempre lendo umas colunas aqui e outras ali, e apesar de nao conhece-lo pessoalmente ainda, gostaria de parabeniza-lo por essa cronia.Ficou muito boa........alias, fazendo uso de suas palavras, FICO BAO DEMAIS..rsrs.Da ate pra imaginar o Sr Ezio escorregando da cadeira.Parabens!!
José Pacheco Júnior
04/11/2006 15:40

D +

Essa eu naõ sabia!!! kkkkk!!!! Caro vice-prefeito, são essas boas (e cômicas...) lembranças que vivificam o passado!