Publicado em 29/04/2010 07:55

ELEIÇÕES 2010

CENARIO ELEITORAL À SUCESSÃO ESTADUAL

"A invencibilidade está na defesa; a possibilidade de vitória, no ataque. Quem se defende mostra que sua força é inadequada; quem ataca, mostra que ela é abundante." A Arte da Guerra - Sun Tzu.

Deflagrado o processo eleitoral à sucessão estadual, posicionaram-se, confirmando suas candidaturas até o presente momento como candidatos, o prefeito de Goiânia, Iris Rezende Machado; senador da Republica, Marconi Perillo; e o prefeito de Senador Canedo, Vaderlan Vieira Cardoso; abrindo então, um certame distinto dos que aconteceram nos últimos anos.

Quando então, observando a vitoria ali bem próxima, no ano de 1998, o candidato ao governo naquela ocasião pelo PMDB, Iris Rezende, sentiu-se afrontado pelo `novo´, candidato Marconi Perillo, que, conforme dicções próprias, venceu `historicamente´, uma eleição quase impossível, tendo em vista as projeções vistas no inicio de campanha, vitória conseguida através da coligação intitulada de `tempo novo´, conduzida pelos partidos PSDB e PP.

Passaram se mais duas eleições, e tais partidos continuaram uníssonos, irmão siameses, não fácil era identificar, diferenciando, as ideologias particularizando-as entre PSDB e PP, tão semelhantes eram, ou seja, tratavam-se de uma mesma estrutura, com objetivo comum transparente.

Em 2006, durante a campanha eleitoral, que redundaria na vitoria do governador Alcides Rodrigues, a `grande virada´, como foi tratada, o então candidato à senador Marconi Perillo, teve papel fundamental em tal resultado, que àquela época, deixava o palácio da esmeraldas com grande aprovação, chamando então a responsabilidade, elevando o seu nome e de seu candidato, que chegaram vitoriosos às urnas, sendo então eleitos, senador e governador.

Não sabia o nobre senador, que passaria por tantos momentos de dificuldade após a posse de Alcides, que iniciou seu mandato trazendo à publico um prejuízo de 100 milhões mensais aos cofres do estado, não obstante as inúmeras obras inacabadas (inauguradas sem a devida conclusão por Marconi), deixadas ao governador Alcides, e, resumidamente, os casos emblemáticos, da CELG, que traz atrasos ao desenvolvimento de Goias, face a não haver possibilidade sequer, de promover o crescimento necessário, à demanda por energia dos setores agro-industrial -comercial, quebrando os trilhos do crescimento ao meio. Relembrando ainda os casos de `superfaturamento´, do aeroporto de Goiania, que desde 2007 encontra-se com as obras paralisadas, o Centro de Excelência do Esporte, na avenida Paranaíba, que sequer fora iniciado, o Centro Cultural Oscar Niemayer, que encontra-se às moscas, tudo herdado do governo tucano.

O que justifica a atitude de Alcides em romper com o PSDB após tantos anos?

Lançado à candidato, o sensato Vanderlan Cardoso, em entrevista na ultima terça-feira, declarou o `receio´ do governador Alcides em ver seu sacrificante trabalho de recompor as finanças do estado, ir pelo ralo, em caso de vitoria do senador Marconi nas próximas eleições, o que certamente, levaria Goiás à bancarrota, tendo como exemplo as ações do senador, enquanto governador.

Ao que se percebe, é que o governador teve coragem e fora por demais, leal ao Estado, quando promoveu a transparência necessária que deve ser imbuída uma administração publica, não poupando seu antecessor, trazendo ao conhecimento da população a situação lastimável que recebeu a administração de Goiás, das mãos de Marconi, tendo então Alcides, se desprovido do projeto em tentar cargo eletivo nas eleições vindouras, à recompor as finanças estaduais.

O que fica ainda enrustido no rompimento da chamada `base aliada´, é que Marconi tem promovido a política do centralismo e da prepotência, que o diga o DEM, que de uma única vez, se viu sem 25 prefeitos, cooptados por Marconi, então governador.

Diante do presente cenário, resta então um Estado carente em demasia, de administrações comprometidas com o povo goiano, de investimentos nos diversos campos, ressaltando infra-estrutura (estradas, energia, água e saneamento, etc.), educação, segurança e social, que ultimamente, viveu o período do marketing político, em detrimento do trabalho.

De outra vertente, observa-se a candidatura de Iris Rezende, que deixa em Goiania, um município com a auto-estima elevada, com um trabalho arrojado e comprometido, nos diversos campos, sobretudo infra-estrutura, urbanismo e educação, renunciando ao mandato em favor de Goiás, que carece de políticas alinhadas com o desenvolvimento de um Estado estratégico no contexto federativo, e de um povo ordeiro e trabalhador, e que muito tem sofrido com os desmandos e descompromisso das administrações enganosas, baseadas na propaganda e marketing.

Assim, nas palavras de Sun Tzu, nós goianos, devemos ir ao ataque, na busca pela vitoria, eis que não podemos cooperar com administrações que comprometam o crescimento do Estado, gerando prejuízos milionários aos cofres públicos, inviabilizado o desenvolvimento, desvalorizando nossa gente e nossa terra.

Dioji Ikeda

Dioji Ikeda

Advogado, Graduado em Direito pela UNIP, Especializado em Direito de Familia. Pós-Graduado em Docencia Universitaria pela UEG.
Juiz Arbitro da 1ª Corte de Conciliaçao e Arbitragem de inhumas Vice-Presidente da Associaçao Goiana dos Advogados-Seçao Inhumas. Professor Universitario

COMENTÁRIOS

Comentar usando as redes sociais

Caixa de comentários TUDOIN


Resposta ao Comentário (Cancelar)

Lista de Comentários

Gil M. G. Paiva
21/08/2010 11:37

Poder

O brasileiro deve criar a cultura de conhecer a vida e a biografia política dos cantidatos, antes de optar por um ou outro. Mas infelismente mesmo que um honesto, bondoso e bem preparado pegue o poder, de nada valera. Pois desde os primordios da humanidade o homem e corrompido pelo poder, "você quer saber quem é o homem, dê poder a ele". Mas não custa tentar.
Gil M. G. Paiva
21/08/2010 11:15

HISTÓRICO POLÍTICO

José Essado em seus mandatos de prefeito e deputado, não fez, e não fara nada pela cidade, se reeleito. Se realmente tivesse sido um bom prefeito como alega, os eleitores teriam o reeleito contra Abelardo, que era um desconhecido na época. Mas infelismente existem os partidarios (votam no partido) e também a compra de votos, o que por ventura José Essado faz muito bem. Quando prefeito veio a verba da canalização total do corrego da rua da feira livre de domingo. Ele canalizou apenas uma pequena parte. Agora eu pergunto: o que ele fez com o dinhero para fazer o restante da obra? Claro embousou, e comprou fazendas e gado. Dizem que ele é o maior sem educação com seus colaboradores (epregados). E agora fica passando imagem de honesto e educado. Se o povo aprendesse a votar, pessoas como José Essado ficariam fora do estado (política), e o Brasil daria um grande passo rumo ao desenvolvimento, e como consequência chegaria ao primeiro mundo.
emerson
19/08/2010 18:48

japones

fico feliz por ver vc empenhado na politica homem novo com vontade de trabalhar e isso que inhumas e o brasil precisa,mas essas masmorras,balestra,iris,e tantos outros,bananeira que deu caixo,temos que mudar e rapido,nao da mais pra ver essa inhumas linda nas maos das mesmas pessoas,fora esses coroneis arcaicos,retrogados,e que enriquecem com dinheiro do contribuinte e se pousao de herois.mas nao se pode negar,temos o que merecemos,se os colocamos,nos somos os culpados,mas temos que fazer algo mudanca ja
Murilo S. G.
02/08/2010 07:43

Ter representantes na assembléia para que?

Alguns dizem que como cidade, devemos ter representantes na assembléia, para que os mesmos tragam benefícios para cidade. Então me pergunto: Que benefícios os citados trouxeram para nós? Se um cachorro concorrer com os mesmos, voto no cachorro. Porquê o cachorro tem um lado positivo: ele não fará nada, porém não será corrupto. Já os três...
José Mendes Luz
01/08/2010 23:09

QUAL O MENOS PIOR?

De quem é responsabilibade de político corrupto no Brasil? Afinal, porque o mesmo povo que critica os politicos trabalham pra eles na época das eleições? Se político é sinônimo de corrupção porque todos os que tem essa consciencia não anulam seus votos? Acho que é porque o importante não é politica em si, mas os resultados que ela traz: compra de votos, favores e botinas. Daí, se os comentaristas dizem que O Valim, o Zé Essado e o Roberto são farinha do mesmo saco, concordo, porém me pergunto: Algum político se auto elege? Escolha o menos pior.
Concordo com Willian, Saulo e Ricardo, José Essado e Valim são tudo isso e muito mais. Mas eles esqueceram o sr. Roberto Balestra, que em seus vários mandatos consecutivos não fez nada, a não ser encher o próprio bolso. Por quê alguém que é um grande empresário seria político? O salário é muito pouco para o mesmo, e ele não está nem um pouco comprometido com o bem comum(comunidade). Sua indústria ano após ano poluí Inhumas e outras cidades vizinhas com fuligem da queima da cana. Sendo deputado será que ele não conhece a lei de redução gradativa das áreas de queima para colheita mecanizada? Ele não está nem aí para o meio ambiente, só para o próprio bolso. Vamos votar em pessoas novas para tentar melhorar a cara da política nacional!!!
RICARDO ROMES DE ANDRADE
29/07/2010 07:56

DEPUTADO VALIM-MUITO FALSOOOOOOOOOO

CONCORDO PLENAMENTE COM O SAULO, O VALIM E UM GRANDE FALSOO MESMO, E GRANDE CORRUPTO E NÃO PODE MASI SER ELEITO... VALIM FALSO..
SAULO SILVA OLIVEIRA
26/07/2010 06:14

DEPUTADO VALIM- FALSO

O Deputado Valim e um falso. Quando precisa do vota da gente ele para o carro, cumprimenta.Mas quando ganha a politica passa perto da gente com o vidro do carro fechado, não cumprimenta ninguem. Fala que o sr jose essado se enriqueceu eu concordo sim, mas e o vali que não tem nem quatro anos de mandato e ja esta milionario nas costa do povo e não fa nada para INHUMAS. PELO AMOR DE DEUS ESSE VALIM E UM TREMENDO DE UM FALSO........ ISSO NÃO E EU QUE ESTOU FALANDO E A CIDADE DE INHUMAS, ELE NÃO GANHA NEM PARA VEREADOR MAIS......
O projeto de lei 4416, ofício 93-G, acaba de ser devolvido à Comissão Mista, após pedido de vista do deputado José Essado (PMDB), que apresentou voto em separado. Em seguida, o líder do Governo, Evandro Magal (PSDB), pediu vista para apresentar também voto em separado.

O projeto visa revigorar dispositivo da Lei. 13.453, que dispõe sobre o benefício fiscal da redução da base de cálculo do ICMS para o valor equivalente à aplicação de até 3% na saída de bovino para abate em estabelecimento frigorífico, ou abatedor localizado na Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno. Esse é um exemplo dos projetos do grande José Essado, que sempre só visa o seu proprio benefício, já que ele é criador de gado. O cargo político é a melhor ferramenta para uso pessoal!!!
Willian
24/07/2010 13:02

Candidatura de José Essado

Porquê Josê Essado adora a vida política? R.: Ele usa o poder do cargo político para uso pessoal. Em seus mandatos de prefeito e deputado, não fez nada por Inhumas, só enriqueceu com mau uso do cargo. Quando prefeito, Inhumas parou no tempo. Rescentemente com seus outdoors e progama de radio, ele vem tentando passar uma imagem falsa de bondoso, educado e políticamente correto, para tentar a reeleição.
ANDRE SANTOS DE OLIVEIRA
24/07/2010 05:29

Comentario Dioji Ikeda

CONCORDO COM VC PLENAMENTE. AGORA QUE PRECISAMOS MUDAR E COLOCAR PESSOAS NOVAS NO PODER A SIM ISSO PRECISAMOS. ACHO QUE DEVERIA APROVAR UMA LEI PARA TAMBEM LIMITAR OU SEJA NÃO TER REELEIÇÃO TAMBEM PARA VEREADOR, DEPUTADOS E SENADORES. TEMOS UM DEPUTADO FEDERAL AQUI EM INHUMAS O SR. ROBERTO BALESTRA QUE JA VAI PARA O SEU 6 MANDATO E NUNCA FEZ NADA PARA INHUMAS E UM VERDAEIRO MUSEU..... PELO AMOR DE DEUS VAMOS RENOVAR ESSA CAMARA DE DEPUTADOS. AI VCS PENSAM TEMOS QUE ELEGER UM CANDIDATO DE INHUMAS , MAS PARA QUE SE ELE NÃO FAZ NADA PARA NOS...........
Jose Wilson de Macedo
06/07/2010 03:18

Comentario Dioji Ikeda

Nao parabenizo seu texto dioji, pois, voce como demonstra no todo de seu referido texto. VOCE e PARCIAL, totalmente PARCIAL. Um texto totalmente dirigido a propoganda do Candidato Oficial do atual governo, ou seja do Governo Alcides.
Nao devemos de forma alguma, desonsiderar o arrojado, atuante e moderna forma de governar do Senador Marconi Perillo, nem do outro Candidato do pmdb Iris Rezende. Sao tres bons candidatos, e a forma que vc dirigiu o texto, não foi imparcial e isso compromete seu trabalho.

José Wilson de Macedo
Inhumas-Go.
Glaucia Lopes L. Diniz
02/07/2010 12:55

Eleições 2010

Desculpe-me, digo, "política" em geral...
Glaucia Lopes L. Diniz
02/07/2010 12:52

Eleições 2010

Parabenizo vc Diogi, pela integridade e transparencia da sua visão quanto a vergonhosa política, que acaba nos envolvendo cada dia mais. Mesmo não gostando da políca em geral e nem ser partidária, gostei muito de ler o artigo.
Geraldo de Magela Braz
29/05/2010 06:11

Eleições 2010

Muito bom seu comentário, parabéns. Acrescento ainda que o ex-Governador tem quatro anos e meio de mandato a cumprir no Senado Federal e acho que deveria ficar quetinho lá e honrar seus votos. Prá mim chega de mesmice que loucura é essa pelo poder! Tenha dó.
Antonio Marcos Tristão(Marcão)
13/05/2010 11:18

Eleições 2010

Querido amigo Dr. Dioji. li seu artigo na integra. ate concordo em alguns pontos. mas como não sou partidario, mas gosto de politica dentro de uma visão macro. acho q a onde não ha alternancia de poder, e sempre os mesmos mandatarios são os que detem o poder. na minha visão isso e um grave sinal de terra atrasada. pois se verificarmos no mapa geo-politico de Brasil os estados do sul, sudeste onde se encontram um numero maior de pessoas esclarecidas, a semple alternancia de poder. pois para mim PMDB e PSDB não se diferem praticamente em nada. tanto e que um nasceu dentro do outro por pessoas que tinham um visão mais a esquerda na epoca q sucedeu a constituição de 1988. voltando no plano regional acho q tanto Iris quanto Marconi, ja deram suas contribuições. se um foi melhor q o outro não sei. pois cada um atacou em uma area diferente. mas nem por isso acho q deveriam voltar, pois acredito q tem mais pessoas capazes e que podem contribuir. quanto ao PP, este parece q esta voltando as suas origens, e foi uma pena que esse governo perdeu tanto tempo discutindo deficit. escuto essa historia desde q sou criança. abç