Publicado em 15/03/2007 08:43

Inhumas Sucumbe

A velha Goiabeiras se aterra diante do progresso... Literalmente regresso.

A velha Goiabeiras se aterra diante do progresso... Literalmente regresso.

A Avenida Radial Norte (situada entre os setores Solar Parque e Amélio Alves), desassossega seus transeuntes e moradores em dias chuvosos, ou tempestades típicas de verão. As lojas ali situadas são invadidas por uma enorme quantidade de enxurrada, lixo e lama. Águas fétidas misturadas ao lixo que o serviço de limpeza pública ainda não consegue recolher com sucesso.

Esta é uma cidade de população urbana oficial (de acordo com o último censo do IBGE), beirando os quarenta mil habitantes. Uma população que produz lixo a cada segundo do dia, e a coleta do mesmo é feita em cada setor apenas três dias por semana.    

No último inverno, até as motocicletas ficaram impossibilitadas de atravessarem o leito da avenida. O descaso político é total!
Defronte a Prefeitura Municipal de Inhumas, está situada uma praça, mais conhecida como a "pracinha da maconha". Ali rola praticamente tudo que é abominável aos olhos da sociedade digna da cidade. Em evidência, o uso de drogas e a prostituição. Quase diariamente, a partir das três horas da tarde as personagens do "mundo dos sonhos" reúnem-se em busca dos prazeres doentios. Uma miscigenação... Crianças, adolescentes, jovens e adultos de ambos os sexos.
Como não bastasse, há uma pista de skate ao lado, tornando-se um forte álibi para que tudo aconteça sem a intervenção de ninguém.
Como seria trabalhar na prefeitura inalando o odor da droga que certamente entra pelas janelas? Um funcionário confidenciou que há dias em que o cheiro forte da droga, torna-se insuportável!

Estamos vivendo a síndrome do medo, como se habitássemos uma terra sem lei.

Os semáforos instalados no Setor Central deram um esmerado ar à cidade, todavia o trânsito ainda continua sendo um dos piores do estado. Abarrotado de condutores sem CNH. E o mais perigoso: Inúmeras crianças dirigindo carros e motos.

Em repulsa ao trânsito local, meu falecido pai dizia: "Isto aqui é terra de índio"!

Ainda há veículos de tração animal circulando pelo Centro. Tomara os animais de quatro patas se identifiquem com os semáforos, pois em se tratando da maior parte dos motoristas daqui, isso é um aprendizado remoto.

O comércio de Inhumas vem sofrendo duras críticas, tendo como principal, o péssimo atendimento. Algumas drogarias batem recorde no desleixo em relação à clientela.

Balconistas com ares de executivos e má formação profissional, chegam a ponto de intimidar o cliente. Funcionários metidos a proprietários, leigos em Relações Públicas, maculam a categoria.

Algumas lojas de eletroeletrônicos não ficam distantes. Percebe-se no semblante dos vendedores o firme propósito em visarem apenas suas comissões. Desmotivados, tentam empurrar mercadorias sem qualidades, e alguns até ousam efetuar a venda de "mercadorias casadas", prática proibida pelo Procon.

Esta é Inhumas. Você conhece?

Ivan Zarur

Ivan Zarur

Inspirado pelas suas professoras, aventurou-se no mundo da Literatura aos sete anos de idade. Seus primeiros trabalhos publicados foram em forma de cordel: "O Velho Ricardino" e "Não conseguiu e para o Céu subiu". Com "Mundo e Mudanças" venceu o Festival dos Campeões de Itaberaí-Go.
Publicou vários trabalhos na revista Diadema Real, da Editora Cristã Evangélica do Brasil, entre eles, "Transformação", "Coisas da vida", "Mãe" e "Pastor Amado". Minha BIOGRAFIA completa, bem como outras de minhas obras estão disponíveis no meu site: www.zarur.no.comunidades.net

COMENTÁRIOS

Comentar usando as redes sociais

Caixa de comentários TUDOIN


Resposta ao Comentário (Cancelar)

Lista de Comentários

Antonio Lopes
28/03/2007 21:21

VERGONHA

Que coisa, a vida na cidade era melhor a tempos atrás. Não vivemos de nostalgia do passado, mas acreditamos na força dos que escolhemos para fazer algo de bom. Talvez acordar antes de mais equívocos e escolhas politicas erradas sejam o ponto de partida para a mudança da sociedade. Minha opinião não é única, o povo parece estar tomando consciência do que faz aqueles que escolhem. Entretanto, o mais importante é mostrar isso nas urnas. MUDA INHUMAS
don vonchoi
27/03/2007 16:14

aos vereadores supra citados

creio q eles nao sao daqui, afinal desconhecem por completo a realidade de nosso municipio... afinal, moram no centro e têm pavor à periferia... mas o que mais me chama atençao é o fato deles sempre aparecerem em tudo quanto é velório!!! é morrer alguem e aparecer a turminha!!! A cidade está um caos. O centro foi maquiado, passaram uma pincelada de piche na av. bernardo sayão, onde ja nas primeiras semanas, ja se viam bolhas no asfalto e na primeira chuva de 2006, buracos ja começavam a aparecer. E o caminhao de lixo q nao passa mais todos os dias. Falando em lixo, pq nao temos uma estação de coleta e reciclagem do mesmo?? Ok, esquece... Vamos falar mais nada gente, afinal vivemos em HIGIENÓPOLIS
Margarida Das Dores Pinto
20/03/2007 07:42

concordo...

O texto do colega Ivan dá conta de nossa situação, é resultado de uma mente observadora e que não se ilude com mera maquilagem politiqueira que se espalha de boca em boca. Gostaria de reforçar os comentários do amigo Wellington sobre a opnião dos políticos sobre inhumas. Vivemos um clima desenvolvimentista sim, mas que não deve ser tomado como grande maravilha do interior. Basta assistirmos o aumento da violência em nosso município, pessoas sendo assassinadas em plena luz do dia em ruas e bares etc. E aí senhores vereadores, estou sendo infeliz em minhas colocações? No entanto discordo que nossos vereadores desconhecerem nosso município, eles não conhecem é absolutamente nada. Chega de uma elitezinha canhestra, cafona, de família e tal.
Welington Rodrigues dos Santos
19/03/2007 10:17

Contra fatos não há argumentos...

... e os fatos estão aí para todos verem. Cidade suja nos setores mais pobres, muita reclamção também na saúde, falta de oportunidade de emprego, quadras de esporte abandonadas como acontece na Vila Mutirão, inclusive utilizada somente por usuários de drogas. Lamento que o poder público não vê nada, e ninguém se importa. Os vereadores tropa de choque do prefeito, Srs. Antônio Braga, Otaviano do Nascimento e Rita, quando vêem este tipo de crítica, falam que seus autores são infelizes nas colocações, e que nada do expomos existe de fato na cidade. Pensando bem, Ivan Zarur e Antonio José, acho nós é que vivemos na cidade errada, porque estes veradores aí desconhecem o que acontece em nosso município. Não merececiam estar onde estão...
antonio jose
15/03/2007 17:45

a mais pura verdade

Venho de plano concordar como texto supra, em seu inteiro teor, ate nas minucioas palavras. É bem verdade que estamos vivendo uma realidade fadonha, midiada, de pura publicidade em uma cidade maquiada pelo poder executivo, de modo a secundarizar os verdadeiros problemas. Somente para relembrar, há exatos dois anos, a avenida Bernardo Sayao foi reformada em quase toda a sua extensao, contudo, o que se observa hoje sao buracos e mais buracos. A praça central, está uma lástima, um transito falido, semaforos mal posicionados, enfim um verdadeiro descaso. Assim, nos, pobres mortais, vamos levando nossa singela vida, contudo descordando de atuaçoes politiqueiras e eleitoreiras. Parabens pela valiosa colocaçao.