Publicado em 20/03/2008 14:06

INTOXICAÇÃO ALIMENTAR

São em geral causadas por bactérias normalmente devido ao armazenamento de alimentos de alto risco em temperatura ambiente. Costumam provocar fortes dores abdominais, vômitos e diarréias intensas. A diarréia e os vômitos causam grande perda de água pelo organismo (desidratação). Por isso, se não for combatida rapidamente pode levar a pessoa à morte.

Para evitar essas infecções, é essencial que os alimentos, dados principalmente às crianças, sejam cuidadosamente preparados. A água que os bebês tomam, bem como a água com que se prepara chá ou leite deve ser fervida, assim como os bicos, as chupetas e as mamadeiras.

Tratando-se de crianças maiores e adultos, não é necessário ferver os objetos. No entanto, em locais onde a água não é tratada, por exemplo, só se deve beber água fervida. Além disso, todas as frutas, vegetais e legumes precisam ser muito bem lavados. Devem ficar mergulhados durante meia hora em uma solução de água com vinagre. Em seguida, os alimentos devem ser lavados com água tratada.

OS ALIMENTOS PODEM TRAZER DOENÇAS

Se os alimentos não forem conservados e utilizados com cuidado, eles podem transmitir bactérias, vermes, e outros seres vivos causadores de doenças. Carnes cruas, frutas, bolos e outros alimentos estragam facilmente. Dessa forma, mudam de cheiro, sabor, aspecto e textura provocando a perda da qualidade nutricional e o aparecimento de intoxicações alimentares. Tendo as condições apropriadas de calor, tempo, nutrientes e umidade, os microrganismos multiplicam-se rapidamente.

COMO CONSERVAR OS ALIMENTOS?

A conservação dos alimentos depende da utilização de técnicas capazes de dificultar o contato dos microrganismos com os alimentos, criar um meio desfavorável à reprodução e ao desenvolvimento desses microrganismos, reduzi-los ou eliminá-los totalmente. Veja algumas técnicas eficazes:

  • Guardar alimentos na geladeira: o alimento se estraga quando entra em contato com microrganismos que o decompõem e que estão presentes no ar. Na geladeira, o alimento mantém-se numa temperatura baixa para que os microrganismos se multipliquem. Por isso, ele se conserva por mais tempo do que se estivesse em temperatura ambiente. Se o alimento for congelado, então, sua conservação será muito maior, pois além da baixa temperatura, não há água líquida para o microrganismo se multiplicar.
  • O uso do calor: o aquecimento dos alimentos tem como objetivo a destruição total ou parcial de microrganismos.
  • O uso de aditivos: a busca de especiarias ou condimentos nas grandes viagens no período das grandes navegações, decorreu, entre outras coisas, da necessidade de temperar os alimentos, principalmente para evitar que as carnes se estragassem. Com o tempo, passamos a apreciá-los como temperos, nos esquecendo do seu papel conservante. Uma das substâncias mais empregadas é o sal, usado na conservação da carne seca, do bacalhau, etc. O açúcar é utilizado na conservação de frutas na forma de doces, compotas e caldas. O sal e o açúcar promovem a redução de água livre nos alimentos. A água no estado líquido é fundamental para a vida de todos os seres vivos, incluindo os microrganismos que sem ela não sobrevivem nem reproduzem.
  • Uso de antibióticos naturais: o cravo-da-índia, a canela, o alho entre outros são aditivos de ação conservante. O cravo-da-índia impede que a carne fique com o gosto de rançoso: é um antioxidante. Nos doces e bolos, impede o aparecimento de bolores. A canela também contém uma substância conservante. E o alho possui a alicina, que inibe as decomposições.
  • Industrialização: durante as guerras, nas expedições prolongadas e a longas distâncias, os alimentos se estragavam, fazendo com que as pessoas morressem de fome. Foi nesse contexto que surgiram os primeiros enlatados. Só que durante a fase de industrialização dos alimentos, muitas falhas podem acontecer, como manuseio incorreto e a falta de higiene. Latas e outros recipientes estufados, amassados ou enferrujados mostram a má conservação do alimento, indicando que bactérias produziram fermentação. Por isso, devem ser recusados pelos consumidores. O mesmo deve ser feito com os alimentos que apresentam o aspecto, a cor, o cheiro ou o sabor alterados.

Como você pode notar, as condições em que o alimento é conservado e armazenado são fundamentais para a sua preservação. Vários são os processos de conservação dos alimentos e todos eles visam destruir ou reduzir os microrganismos.

Keila Pereira Pires

Keila Pereira Pires

Graduada no ano de 2001 pela Universidade Federal de Goiás. Especialista em Nutrição Clínica. Pós-graduada no ano de 2003 pelo Centro Universitário São Camilo - Rio de Janeiro.
Professora substituta da Faculdade de Nutrição da Universidade Federal de Goiás nos anos de 2003 e 2004. Nutricionista da Secretaria Municipal de Saúde da Prefeitura de Goiânia desde 2005. Parceria com o União Inhumas sub-12 e sub-14 e com Academia Cleide Campos no ano de 2007. Colunista do site www.wellnessclub.com.br. Atendimento em consultório há seis anos.

COMENTÁRIOS

Comentar usando as redes sociais

Caixa de comentários TUDOIN


Resposta ao Comentário (Cancelar)