Publicado em 15/03/2006 11:36

Jesus e a Doutrina Espírita

Convido você a acompanhar a visão espírita sobre a realidade de Jesus Cristo para nossas vidas. Algo muito int

Jesus Cristo é conhecido mundialmente, seja como figura histórica para muitas populações do oriente, seja como o Filho de Deus para o mundo ocidental. Sua passagem pela Terra foi tão marcante que acabou dividindo a História. Todavia, a personalidade do Mestre dos Mestres, sua essência espiritual, até hoje não foi verdadeiramente compreendida. Para muitos é instigante o comportamento que Ele adotou enquanto esteve encarnado na Terra.


Talvez, porque existe uma distância muito grande entre a nossa capacidade e a grande sabedoria do Cristo e por isso nos faltam condições para penetrar à lógica das suas atitudes.
Podemos situar Jesus entre o Alfa e o Ômega, pois, Ele nos ensinou o começo e nos mostrou como caminhar para atingir um fim de felicidade.


Suas ações foram sempre revestidas de uma verdade superior, porém, ele as vivenciou de forma simples, tanto junto aos mais humildes como frente aos importantes e eruditos da época e influenciou profundamente a humanidade.


Numa época em que o povo quase nada possuía e lutava bravamente pela própria subsistência, Jesus falava do Reino Divino e de recompensas futuras. Não oferecia riquezas materiais, imediatas, mas acenava com o alimento espiritual a trazer recompensas em outras vidas.


Jesus é quase sempre lembrado como enviado Divino que veio para salvar os homens e muitos achavam que basta acreditar no Cristo para ficar em graça. Mas a pura missão não pode ser entendida como simples feito de aceitação apaixonada. A missão de Jesus é tão grande que 2.000 anos não foram suficientes para fazer os homens entenderem seus objetivos superiores.


Mesmo depois de 2000 anos, sentimos que muito pouco fizemos em relação a tudo que o Mestre exemplificou.


Jesus pregava a necessidade do homem se transformar de dentro para fora. Mostrou sua revolução. Era um profundo conhecedor da psique humana por ser um espírito evoluído, por isso pregava o amor como fundamento das relações sociais.


Numa época de tão poucos conhecimentos, Jesus teve a coragem de afrontar os paradigmas em uso. Desafiando os conceitos culturais falou de reencarnação e despertou o povo para a necessidade de melhoria dos próprios sentimentos. Instigava as pessoas a pensar e a desenvolver a capacidade mental, objetivando o aprimoramento espiritual.


Cristo foi amado pelas pessoas de fé que entenderam a sua mensagem de transformação e foi temido pelos orgulhosos que se sentiram ameaçados pelas verdades que ele transmitia com a autoridade de um sábio. Sua postura serena mostrava a confiança de quem tudo conhece e por isso não se inquieta com querelas do momento.


Estamos ainda tão distantes da realidade cristã, que se o Cristo estivesse entre nós nos dias de hoje a reação da maioria dos homens, certamente, seria como a população de antigamente.Em várias ocasiões Jesus foi procurado por pecadores quase sucumbidos debaixo de um imenso sentimento de culpa, fruto de uma errônea concepção de céu e inferno. Nessas ocasiões, o Mestre os acolhia e orientava no sentido da transformação interior para que não voltassem a repetir os erros cometidos.


Allan Kardec, o codificador da doutrina Espírita, comenta que Jesus é o mais perfeito modelo que Deus ofereceu a humanidade e a doutrina que ensinou é a mais pura expressão da lei de Deus ( O livro dos Espíritos, questão 625). Numa similitude de propósitos, também a Doutrina Espírita nos aconselha à reforma íntima, lembrando-nos a lei de causa e efeito que nos acompanha em todas as situações de vida. O momento é oportuno para lembrarmos mais uma vez, o significado da vinda de Jesus à Terra e a doutrina que ensinou.


A ligação entre o Evangelho de Jesus e a Doutrina Espírita é muito estreita. A moral Espírita é a moral ensinada no Evangelho. O Espiritismo não cria uma moral nova, nem uma doutrina diferente da que o Mestre ensinou. Ele confirma tudo o que está na doutrina de Jesus e traz novas informações.


Recordemos o Cristo com todo carinho e amor na certeza da sua presença constante, mas, sobretudo, trabalhemos pela realização dos objetivos que Ele nos propôs.

Referências:

Maria de Lourdes ( Casas André Luiz)
Humberto Ferreira ( Goiás Espírita)

Olívia Duarte Raisa

Olívia Duarte Raisa

Praticante do Espiritismo Kardecista desde sua infância. Apoio, trabalhos e projetos de evangelização

COMENTÁRIOS

Comentar usando as redes sociais

Caixa de comentários TUDOIN


Resposta ao Comentário (Cancelar)

Lista de Comentários

Maria Eduarda Almeida Goes
22/02/2007 17:15

Parabens

Gostei muito do texto!
Eudes Gonçalves da Silva
29/03/2006 21:23

belo texto

Olívia, pude ler este texto duas vezes e ainda quero ler mais. Muito bonito. Escreva toda semana.
Lurdes Cristina de Oliveira Prado
27/03/2006 13:07

Lurdes Cristina de Oliveira Prado

Gostei muito do texto! Precisamos de pessoas com essa linguagem para melhor divulgação e esclarecimento da doutrina Espírita. Espero a postagens de novos. Parabens! Abraço