Publicado em 16/03/2006 19:40

Metáforas e Instantes

Apresento neste artigo uma análise sobre os fatos históricos que influenciaram diretamente na cultura e prin

Emancipada em 19 de março de 1931, coronel José Rodrigues Rabelo dono único da máquina de café da cidade é nomeado administrador pelo decreto nº. 602. Seu titulo estabelece a ordem que levaria inhumas aos rumos de sua trajetória. A cultura e educação, motivo desse artigo será a ênfase do foco e mostraremos que Inhumas não foi diferente do que em muitos lugares do Brasil. A falta de dedicação e de descaso da estrutura do estado municipal fez com que esta existisse uma difamação intelectual onde se interpretou que apenas aqueles que têm condições podem consumir e usufruir dos adventos culturais.


 Inicialmente os eventos culturais estão inteiramente interligados à vida noturna da época o que estava diretamente ligado à construção da barragem (elétrica) usina, em 13 de maio de 1939, junto com o Cine Fátima, primeiro com prédio próprio, de posse do Sr. Mamédio Calil, ali seria o encontro das produções cinematográficas com a população inhumense que teria condições em participar das sessões, já que a classe dos lavradores, camponeses agregados das fazendas responsáveis pelo trabalho árduo estavam segregados do advento por motivos econômicos e educacionais.


 Em 1940 chega a paróquia com padre Feliciano, junto às festas religiosas e as quermesses, cujo principio cristão não excluiu classes sociais. Toda população, tendo visto que inhumas se forma católica, participa das festividades em honra aos seus padroeiros: São Sebastião e Nossa Senhora da Santana.


 Em 1944 é inaugurada a Praça São Sebastião, onde antes era quadra esportiva do grupo escolar 19 de março, ali se praticavam esportes como basquete e vôlei sendo, que ali fora um dos motivos de orgulho da cidade, pois se sagraram alguns dos maiores jogadores de basquete do estado, tal como Betinho Guerra, Jataí entre outros.


Sob administração de José de Arimathéia é inaugurada a Praça São Sebastião que era o ponto de encontro da nata da sociedade inhumense, homens e mulheres se encontravam ao som instrumental das caixas acústicas e o prisma colorido das águas da fonte desta praça. Para os encontros emocionais, tipo os namoros à moda antiga, encontros para articulações políticas e chegando às vezes a discussões extremas evidenciando as facções políticas que aqui já se manifestavam o getulismo e o lacerdismo mesmo que ao final das contas todos comessem e bebessem nos mesmos copos e pratos do lanche Ricco do Sr. Sizenando Tolentino.


 Fatos inusitados aconteceram por ali, Juscelino Kubitschek perdeu sua carteira justamente quando estava sendo carregado nos ombros para um palanque montado em frente à praça; isso virou um verdadeiro jogo de acusações. Quem pegou a carteira do presidente? Já nos anos 50 precisamente em 1955 foi inaugurado o Clube Lítero Recreativo Inhumense (Clube dos Casados), que serviria para aqueles que conseguissem pagar os ingressos e ter o desfrute dos Anos Dourados. Inhumas agora teria um lugar para dançar e se divertir, além da Zona Boemia, hoje Colégio Estadual Rui Barbosa. Em 1958 e inaugurado o Cine Flórida na principal rua da cidade, Rua Goiás. A tecnologia das telecomunicações também teve seu espaço em Inhumas com saudosos homens da locução da cidade. Manuel Basílio e Lusio de Freitas Borges inauguraram a Radio Jornal de Inhumas em 1960.


 Mais uma instituição pra alguns, é inaugurada. A Associação Atlética Inhumense se consolidada sob a presidência do Senhor Francisco Arataque que futuramente se tornaria o prefeito da cidade. Clube este que mais uma vez caracteriza os valores da sociedade e os princípios culturais. A diversão popular alcança o seu espaça com seu time de futebol, em 1962 o Inhumas (a famosa pantera avinhada) que disputa o campeonato Goiano, chegando a ser vice-campeão Goiano em 1964 contra o Atlético Goianiense com acusação de alguns jogadores do Inhumas terem vendido o jogo na final. Aos anos a 1968 o Ginásio Inhumas passa a ser colégio publico mostrando que muitos alunos do Grupo Escolar 19 de março foram impedidos de continuar seus estudos por falta de condições financeiras, o advento da educação em Inhumas a priori foi para uma classe aristocrática. Em março de 1968 é realizado o primeiro festival de artes de Inhumas o GREMI (Grandes Revelações da Mocidade Inhumense) tornando-se um dos maiores festivais do país, trazendo a presença de nomes conceituados no cenário artístico nacional como: Lucinha Lins, Ivan Lins, Belchior, Osvaldo Montenegro, Bariani Ortêncio, Hamilton Carneiro entre outros.


 Entre outros acontecimentos culturais e os avanços do que chamamos de modernidade, o incentivo à leitura e a informação andou a passos de formiga com a inauguração da Praça Santana e do prédio da Biblioteca Nadir Arataque, com formas e arquitetura moderna símbolo da tendência da época. Em fim 1989, o Artigo 19 das Disposições Transitórias por emenda do Deputado Jamil Miguel é autorizada pela lei estadual à instalação da Faculdade Estadual em Inhumas com os cursos de letras e pedagogia uma conquista significativa, porém demorada para o progresso educacional na cidade.


 A trajetória do progresso cultural de Inhumas mostrados nestas breves linhas tende a conscientizar a estrutura do controle da instituição que tem características a formação erudita e pessoal. O crescimento do ser humano como pessoa, na maioria das vezes está vinculada a grupos ou família que tem o controle do poder político local. Na nossa história recente a ALCAI se insere neste contexto da preservação de valores dos seus membros em elogios entre eles, no controle da arte e da erudição. A Imitação da vida e muitos dos que se dizem intelectuais segrega a principal artimanha que o povo brasileiro conseguiu que foi driblar as dificuldades de suas sofridas vidas e trazer a maior manifestação do Brasil a arte popular.

Neimar Carlos

Neimar Carlos

Superior Incompleto em História, Curso técnico em Mineração e curso técnico em Patologia Clínica
Iniciação Científica (CNPQ) - Massacre de Canudos no imaginário da literatura brasileira - Universidade Católica de Goiás. Afro Descendência em Goiás - Universidade Estadual de Goiás - Professor do Colégio Monsenhor nesta cidade.

COMENTÁRIOS

Comentar usando as redes sociais

Caixa de comentários TUDOIN


Resposta ao Comentário (Cancelar)

Lista de Comentários

Filipe
26/08/2010 08:40

parabéns

Parabéns cara pessoas assim constroi com toda certeza um mundo melhor. aproveitando o momento vocês tem mais algum artigo que fale sobre o padre Feliciano??obrigado!
LUCIANO RORIZ
28/10/2009 10:09

provocação

E essa uma das proiridades sociais do historiador a de provocar a polemica e institutir a duvida pra q dessa desconstrução a produção do conhecimento e de uma cierente visção do mundo se faça mas nao seja tao radical colega, c sabe que por vazes o desgste e inoportuno, mas valeu pela verve de criticidade.
sheila de araujo
16/09/2008 16:38

Nossa! Vc é demais! Parabéns

Inhumas, terra de gente de valor, muito valor, parabéns Neimar
Glauber S. Gomes
23/01/2007 09:44

Oportuno

Bem legal sua forma de descrever esses artigos, para mim são meio q duvidosos pois estou fazendo minha monográfia sobre esse movimento se tiver dicas de livros dispostos em sites agradeço!
maria angelica e mayara
03/06/2006 11:25

É isso ai !!! Parabéns

Atraves dessa historia podemos nos informar sobre a cultura e as condições de vida da população Inhumense dessa época. E o crecimento da cidade, em relação as construções que ficaram marcadas até hoje, como a praça 19 de Março, Clube Lítero entre outros...mas atualmente o que falta em nossa cidade são projetos culturais para a formação de uma cidadania culta. É isso ai Neimar parabéns pelo seu trabalho e dedicação a nossa cidade. Passando a nós os momentos históricos de Inhumas.
Jéssica lima
18/05/2006 19:07

Tudo a haver

e isso ai a maioria do povo de nossa cidade pode ate ter muita cultura mas o que a adianta se não nos proporciona muito.Muitas das pessoas não tem cultura e so pensam nas festas que a propria igreja nos proporciona como a festa de nossa senhora santana....Parabéns Neimar pelo seu artigo.
Fábio Guilherme
15/05/2006 22:14

Desse jeito

esse texto eh a pura realidade... mas naum temos como fugir naum eh msm? eh.. o texto ficou ótimo parabés
Tiago Cavalieri Castro
13/05/2006 14:24

Parabéns!!!!

Parabéns professor!!!!!!!!Seu artigo ficou muito bom mesmo!!!Continue escrevendo sempre seus artigos...Eles sao muito interessantes...Um grande abraço..Teh mais...
Hugo Seabra
13/05/2006 12:34

Curioso

Interessante pensar que as palavras, quando pronunciadas no lugar certo, na hora certa, geram um miríade de situações que tornam-se expantosas, se bem assistidas. Não é mesmo, meu caro Neimar? As palavras deste artigo revela o grande peso que temos sobre os nossos ombros de tirar o ranço macabro que permeia sobre nossas ruas e espctros: a podridão de alma que é mantida por aqueles que permanecem a pensar que o POVO DE INHUMAS AINDA É AQUELE POVINHO QUE ACEITA TUDO DE MÃOS ABERTAS E OLHOS FECHADOS! Estamos chegando lá... fazendo de nossa geração uma arma para derrubar estátuas de JERUBAAL!hahahaha ABRAÇOS NEIMAR. Atenciosamente, HUGO SEABRA
Daniel
12/05/2006 21:59

Muito bom

Ótimo artigo Neimar.Você conseguiu mostrar nessas linhas a história de Inhumas e relatou muito bem os problemas que existem na cidade.Precisamos de mais interesse cultural por parte dos cidadãos e também oportunidades para desenvolver esse interesse.Parabéns !
João Paulo Silveira
10/05/2006 21:38

A razão do debate

O texto do autor faz emergir a importância do debate para nosso crescimento cultural, ele traz a tona a necessidade de nos repensarmos. É através deste artifício que podemos crescer e exercer verdadeiramente a DEMOCRÁCIA, discordar é um gesto saudável, proveniente de uma percepção crítica de nosso cenário. Nesse sentido, Neimar exerce não só seu direito como também colabora para a reflexão mais que necessária sobre nosso município. Espero que este clima não seja tolido.
Eduardo Henrique Soares
10/05/2006 17:09

...

Este texto trouxe a verdade em relação a história da nossa cidade e infelizmente tenho que concordar que ainda hoje persiste pensamentos de crescimento individual em nosso município, como você citou, a ALCAI está ai para provar isto, este órgão visa o crescimento somente de seus membros, mas por outro lado fico feliz pois este órgao não tem valorização capaz de realizar efeito em nossa cidade. No mais um grande abraço para vc Neimar e parabéns pelo seu texto, só colocando nossas idéas para fora que poderemos mudar isto.
Luciano Filho
05/05/2006 19:30

Infelizmente é assim

Infelizmente ainda somos obrigados a ver essa situação deprimente em nossa cidade, onde existem tantas pessoas ricas culturalmente mas que por algum motivo são sufocadas por poucos privilegiados (financeiramente) e muitos ignorantes. E não ficamos apenas na cultura, não vejo um projeto na cidade em recuperação de sua fauna e flora ou quem sabe, um plano diretor indicando para onde e como nossa cidade tem que se desenvolver. Mas quando vejo um artigo como esse escrito por uma pessoa como essa me anima dizer que lutarei em prol de minha cidade e que não estarei sozinho nessa. Parabéns Neimar. Você só tem a nos acrecentar como professor e amigo.
Neitson Carlos Santos
02/05/2006 15:28

Parabéns Neimar!

Parabés mano! É isso aí! Fica bem mais facil sermos fieis as nossas origens e raizes mais distantes, sendo conhecedores da história! Continue este bom trabalho! Abraços! Neitson
Fabrizio
01/05/2006 10:18

...

Parabéns Neimar.... seu texto so veio a enriquecer nosso conhecimento sobre esta terra querida, Inhumas.. mae de todos nós... bastante proveitoso fora tambem o comentario do companheiro amigo joao paulo...
Guilherme Alcântara
09/04/2006 12:51

...

É isso ae Neimar, execelente artigo,parabéns!!! Abraço!!!
Talita de Amorim Cunha
06/04/2006 17:21

...

Assim como foi dito nas linhas acima, ter uma formação cultural e social na sociedade em que estamos inseridos é privilegio da poucos... Para começar podemos analisar as opções de lazer que nossa cidade nos proporciona... nada de muito produtivo... o pouco que ainda resta maioria não pode pagar para ter! Podemos perceber que as pessoas nos dias atuais não sabem conversar, não lêem, não argumentam, não defendem suas próprias idéias, desconhecem seus direitos e deveres sociais... Em suma, foi criada uma massa inconsciente do problema vivido que pouco (ou nada) faz para mudá-lo. Parabéns, ótimo artigo Neimar.
João Paulo Silveira
02/04/2006 20:02

...

Também concordo com o autor, a arte em nosso município ainda é submentido a instituições conservadoras ligados ao status quo ultra-conservador. Precisamos, e com urgência, de desenvolver uma consciência artística insubmissa, capaz de dilatar o tacanho e obsolecente cenário artístico de inhumas, o que creio estar acontecendo.
Hanibal Bastos dos Santos
30/03/2006 15:54

....

Concordo com o Neimar...