Publicado em 29/03/2010 06:37

Morte aos Correios

ABAIXO A ESTATAL

Um grito ONLINE entre vendedores, compradores e dependentes dessa estatal falida em administração ecoa diariamente. Multiplica-se assustadoramente a insatisfação dos brasileiros diante da trágica ineficiência de uma empresa criada para servir, e não para ser servida.

Conceituada por muitos, como sendo uma das piores empresas do mundo, ainda continua protegida pelo governo federal do Brasil. A privatização desta "empresinha" já deveria ter acontecido, pois a incompetência e irresponsabilidade da mesma são gritantes, no tocante ao desrespeito e morosidade em prestar serviços à população.

Os cidadãos, inclusive goianos, têm sido arduamente penalizados sob o jugo dos correios. O entendível é que ninguém pode reclamar da má prestação de serviços. Em suma: Temos que engolir a "merda" calados. Diante do referido descaso, sentimo-nos como reviver a DITADURA.

Acredita-se que inoperantes e desocupados assumem por meio de "padrinhagem" a direção das mesmas. E como não bastasse, a poder de jugo comandam os funcionários de baixo escalão.

Inúmeros clientes das administradoras de cartões de créditos e telefonias vêm pagando juros e multas sucessivas devido a má conduta das Agências na pontualidade das entregas de faturas.

Pior ainda, quando se compra um produto pela internet onde o vendedor depende dos Correios para a entrega do mesmo, então a coisa vira uma baderna total, pois o site dos Correios é atualizado no "passo da ema", tornando-se assim impossível rastrear um produto via site.

Imagine se na cidade de INHUMAS dependêssemos de tais agências na entrega de fatura de água e luz? Certamente Inhumas já seria a cidade das trevas!

Bom seria se, a praticamente falida "amarelinha" não cobrasse tão caro pelos serviços que nem sempre conseguem executar.

Na capital do Estado de Goiás, as reclamações tornaram-se intensas, ao ponto de o Ministério Público já estar tomando providências a respeito. Esperamos, portanto, que a sonhada solução do problema, não venha sob encomenda PAC, e sim, por meio de SEDEX!

Ivan Zarur

Ivan Zarur

Inspirado pelas suas professoras, aventurou-se no mundo da Literatura aos sete anos de idade. Seus primeiros trabalhos publicados foram em forma de cordel: "O Velho Ricardino" e "Não conseguiu e para o Céu subiu". Com "Mundo e Mudanças" venceu o Festival dos Campeões de Itaberaí-Go.
Publicou vários trabalhos na revista Diadema Real, da Editora Cristã Evangélica do Brasil, entre eles, "Transformação", "Coisas da vida", "Mãe" e "Pastor Amado". Minha BIOGRAFIA completa, bem como outras de minhas obras estão disponíveis no meu site: www.zarur.no.comunidades.net

COMENTÁRIOS

Comentar usando as redes sociais

Caixa de comentários TUDOIN


Resposta ao Comentário (Cancelar)