Publicado em 08/05/2009 14:17

Não furtou mas foi preso

Foi engraçado e triste ao mesmo tempo. Aconteceu em Florianópolis (SC), mas poderia ter acontecido aqui ou em qualquer outro lugar...

Foi engraçado e triste ao mesmo tempo. Aconteceu em Florianópolis (SC), mas poderia ter acontecido aqui ou em qualquer outro lugar; afinal, no dizer dos portugueses, lá e cá maus fados há.

Quem me revelou o caso foi Ju (nome fictício), que estudou na UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), lá conhecendo um rapaz aprovado em concurso para pesquisador do IBGE. E uma das casas pesquisadas pelo lindo rapaz de olhos verdes (diz a Ju) foi furtada, levada a televisão de uma senhorinha que morava sozinha..

Acionados, os policiais perguntaram à desditosa senhorinha se ela tinha visto algum estranho rondando sua casa. Ela explicou que não: "Não senhor... A única pessoa estranha que esteve por aqui foi um entrevistador do IBGE, em minha casa... Ai, meu Deus!! Será que foi aquele rapaz lindo???... O marginalzinho levou minha TV!"

Os policiais conseguiram o endereço do entrevistador. Tudo indicava que era ladrão. Conseguiram, também, mandado para revistar a casa do rapaz e, com certeza, encontrar e devolver a TV à sua dona.

O rapaz abriu a porta simpaticamente: "Pois não...". Um dos policiais tocou direto no assunto: "O senhor pegou a TV da dona Luzia, que o senhor entrevistou para o IBGE, lá na Rua 779?"; ele respondeu constrangido: "Claro que não!... Podem revistar toda minha casa. Sou universitário da UFSC, da Faculdade de Biologia, e muito honesto, senhor"

A casa foi revistada  e nada de televisão furtada. Os policiais já se retiravam, quando, aliviado e dono de si, o revistado os convidou para entrarem na sua varanda, num jardinzinho com grosso tapete de folhas verdes. Aí, a surpresa: "É, moço, o senhor pode até não ter roubado  a televisão da dona Luzia, mas  vai ser preso por plantação e tráfico de maconha". Assustado, confessou que realmente era usuário da droga, mas, nunca vendeu. A polícia não acreditou: "Como explica então essas folhinhas verdes cultivadas nesse tapete grosso?" 

Arrasado, o estudante e funcionário do IBGE se desculpou, revelando que fumava mas não vendia; aliás,comprava de um moço do "Morro do 25", ao lado da universidade; e aqueles pés da erva era porque ele tirava as sementes  do bagulho e as jogava no tapete da varanda. Como costumava chover muito e era sujeira só, no tapete grosso nasceram vários pés de maconha, que os vizinhos não sabiam que plantação era aquela mas achavam lindas as folhas verdes do jardim da varanda...

O entrevistado foi preso, ficando 6 meses na carceragem. Como seus pais não podiam constituir advogado, os colegas de faculdade juntaram grana e contrataram defensor para o réu, conseguindo sua liberdade.

Há muitas tristezas na vida que passa, inclusive de inocentes pagando por pecadores.

Valdemes Menezes

Valdemes Menezes

Trabalhos executados na área de cultura regional. Escreveu as seguintes obras: O Pistolão, O Portão de Deus, O Grande Momento, A Recuperação do Preso e a Segurança do Povo, A invasão do Brasil. Muito Prazer Europa, O Pai do Disco Voador
Radicado em GO e nascido em MG(Ituiutaba), já passou por muitas e outras, de menino rico a jovem pobre. Formou-se com dificuldade no RJ, e, sozinho conseguiu alçar seu próprio vôo: foi redator da então poderosa Rádio Nacional; funcionário do Ministério da Fazenda na ex-capital federal; controlador de vôo da Real(adquirida pela Varig); assistente do diretor de rádio e televisão da McCann Erickson(maior empresa de publicidade do mundo) e se confessa hoje como apaixonado escritor.

COMENTÁRIOS

Comentar usando as redes sociais

Caixa de comentários TUDOIN


Resposta ao Comentário (Cancelar)