Publicado em 14/02/2007 11:01

O caos do atendimento

Faço parte do grupo que nota como o atendimento em Inhumas é precário

Cansei-me de escrever apenas poesias e contos com histórias de meu mundo. Decidi agora contar um pouco das chagas de minha cidade, como já fazia um amigo. Neste primeiro artigo, discutirei sobre nossos estimados vendedores conterrâneos.

O atendimento no comércio de Inhumas está longe de ser de qualidade. Prova disso é a enquete desta mesma página, onde apenas 12/100 dos opinantes consideram-na satisfatória. No outro extremo, 50/100 deles consideram precário o atendimento do comércio local.

Se não bastasse a má educação que já é de costume entre a maioria dos vendedores de Inhumas, soma-se a preguiça e a discriminação aos adjetivos da grande maioria da classe, adjetivos estes, que não exagero ao enumerar. Fico pensante entre o ir ou não a uma loja em nossa cidade. Posso estar incomodando alguns de nossos assalariados que se reúnem em grupos no fundo das lojas e deixam de atender os clientes que chegam, principalmente se forem pessoas que não aparentam ser compradores em potencial. Quem diria se gostam de atender quem está pesquisando. Orçamento é uma palavra que parece maltratar os vendedores de nossa terra. Lembra-me a paixão de Cristo a expressão que fazem mediante a simples menção dessa palavra. Deve parecer-lhes de muita má fé um consumidor que deseja pesquisar preços, ir de loja em loja pedindo um orçamento de uma lista de produtos. Cochicham por trás dos que procuram fazer economia e sobreviver diante do caos da classe média. Dizem, como já ouvi por vezes quando entrei em um estabelecimento:

- Que chato! Vem aqui e não compra nada... Acha que a gente é escravo!

 Nem preciso delongar-me para falar das exceções, que, é claro, sempre existem, e são raros exemplares. São preciosidades, algumas as quais conheço. Encontramos pérolas dessas, também em épocas natalinas, em que os vendedores temporários se esforçam para ganhar um lugar meio a seus colegas já contaminados pelo sistema. Não que todos sejam contaminados, como disse antes existem exceções, dais quais as excluo de toda a crítica apresentada.

Quando cito, mais acima, discriminação por parte dessa classe, não é fabulando acontecimentos ou imaginando que existem, não. Já presenciei inúmeros. Certa conhecida minha dirigiu-se a uma loja, a qual não vou citar, pois deixaria ainda mais famoso este estabelecimento ao qual tenho aversão. Claro, era uma moça negra. Ela gostaria de comprar um computador. Não devo envilecer a grande situação constrangedora, que se concretizou quando o vendedor simplesmente indagou: ¨E você tem dinheiro pra comprar um computador? Sua negrinha!¨ Com todas essas palavras. Foi aí que percebi que além de nossa cidade não valorizar a sua própria diversidade de povos, não existe ética ou respeito na maioria das lojas do comércio.

A consideração com o consumidor se esvaí mais ainda quando as empresas, como a maioria no comércio municipal, têm entre pequena e nenhuma concorrência. Sendo assim, não há a necessidade de se oferecer um atendimento de qualidade. Isso nos remete aos tempos medievais onde os comerciantes burgueses abusavam o quanto queriam no valor de suas mercadorias e tratavam mal seus compradores, pois não havia concorrência e, por isso, não havia também a mínima consideração por parte deles.

Há ainda o tipo de loja, essa a qual cito implicitamente, que treina vendedores para simplesmente empurrarem coisas ¨inúteis¨ aos consumidores que adentram-na simplesmente para olhar algo ou para apreçar um produto. Perseguem o cliente como se este fosse oásis no deserto, pressionando-o a comprar, mesmo sabendo que, depois de ser forçado a levar o que não quer, não volta mais ao lugar.

Pergunto-me, o que fazem as empresas que contratam esse tipo de pessoa para seu quadro de funcionários? Que estimulam certas atitudes? Falta de respeito ao cliente ou acomodação? Não sei. Sei que não me espantaria, se daqui a não muito tempo, quando chegar a uma loja, tiver que me ajoelhar e suplicar: Venda-me vendedor!

Emerson Fraga

Emerson Fraga

Estudante do 3º ano do ensino médio do Colégio OLY.
Colunista e colaborador do Jornal Mercadão, da seção de cultura do site TUDOIN e do site litetrário Garganta da Serpente. Soma 26 prêmios artísticos, científicos e literários. 1º e 2º Lugar no III Concurso Nacional de Conto de Cordeiro (RJ)/Troféu Lygia Fagundes Telles. "Medalha de Ouro" pelo 1º Lugar Juvenil no III Concurso de Poesias "Letras do Divino", em Itanhaém-SP. "Medalha de Prata" pelo II Concurso Gente Miúda de Conto - Medalha Monteiro Lobato, promovido pela Academia PanAmericana de Letras e Artes. 1º Lugar Juvenil do VI Concurso Kelps de Poesia Falada (2007). Selecionado para antologia do IV Concurso Nacional de Literatura de Caçu nas categorias conto e poesia. Campeão da XXXI SACEM em conto, crônica e fábula. Premiado no Concurso Literário Internacional - Prêmio Cidade de Conselheiro Lafaeite (MG) na categoria crônica. Vencedor do concurso de texto e imagem ambiental "Minha Cidade é Meu Planeta", promovido pela Revista Época e British Council. Vencedor nacional de texto na 4ª Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente. Delegado brasileiro no Fórum Internacional Estudantil 2007, em Londres.

COMENTÁRIOS

Comentar usando as redes sociais

Caixa de comentários TUDOIN


Resposta ao Comentário (Cancelar)

Lista de Comentários

Arieny L. Fonseca
15/03/2007 20:13

Gostei!!!

Oi,Wemerson....quero lhe parabenizar pela sua determinação diante de sua visão, sobre este assunto...que realmente é um problema grave. Sou estudante de Jornalismo,estou cursando o 3º periodo,gosto muito do que vc escreve...axo q podemos trabalhar juntos...acredito q saíram otímas pautas,matérias,colunas que sejam...Quero estar em contato com vc...Espero q quando for fazer um curso superior,escolha o jornalismo...te recomendo, não irá se arrepender...Bjo Valeu*
Victor F. Silva / Suporte Técnico / Aluno Monitor
28/02/2007 12:27

Olá Wemerson, bom dia!

Quero lhe dar os parabéns! Esta manhã a tutora Ana Maria passou-me o endereço da sua coluna em ( http://www.tudoin.com.br/portal/list_articles.asp?id=142 ). Fiquei muito surpreso ao me deparar com textos lúcidos e muito bem escritos. Vou passar o endereço aos meus colegas de trabalho e amigos do Programa Aluno Monitor. Todos torcemos pelo sucesso dos participantes e tenha certeza que casos como o seu nos deixam muito felizes. Sucesso no seu caminho! Um abraço!
Maria Eugênia Sebba Ferreira
25/02/2007 17:50

...

Infelizmete, a situação é crítica a esse ponto. É uma vergonha que nossa cidade não possa contar com um atendimento de excelência em todos os seus estabelecimentos comerciais. Afinal, a proximidade de um grande centro (a capital Goiânia) deveria estimular o bom atendimento no comércio local, mas não é o que de fato acontece. Espera-se, pois, que os proprietários destes estabelecimentos tomem logo a consciência de uma necessidade emergente de mudanças de paradigmas, que deverá incluir, dentre outras coisas, uma melhor capacitação dos trabalhadores em questão.
Divino Fraga Sobrinho
18/02/2007 10:35

Realmente é lamentavel

Como diz meu filho, o atendimento do comercio de inhumas deixa a desejar , espero que esse texto sirva de alerta para os nossos empresários para que capacitem melhor essas pessoas que nos atendem.
cleijane ribeiro da fonseca
18/02/2007 09:59

e lamentavel

e lamentavel que seja assim, mas pior ainda e ter que incarar as recepcionistas do latifa e do hospital da mulher tao sempre de mal humor um saco por sinal, mas fazer o que ne afinal algem tem que nos atender mesmo que seja mal atendido afinal sem um atendente mesmo sendo pessimo nao tem como agente fazer nada,fica ai o meu apelo pra que a direçao desses hospitais tome um providencia afinal um dia a casa cai e o povo cansa
Ivan Zarur
17/02/2007 14:56

PURA REALIDADE

Também sou indignado com o péssimo atendimento comercial de Inhumas. Isso a torna mais cidadezinha do que nunca. Infelismente, a maioria dos comércios daqui, vivem uma pobre disputa em que cada qual quer postar uma vendedora mais nova e mais atraente diante de seus clientes, dessa forma esquecendo o objetivo principal. No entanto, tais vendedores, ou vendedoras, tornam-se sepulcros caiados. Quem sabe algum dia teremos comércio e seus representantes capacitados em Inhumas.
Renan Alves Melo
16/02/2007 11:16

...

Excelente
Cristiane
15/02/2007 19:58

...

Essa questão do atendimento comercial em Inhumas foi muito bem colocada por meu amigo Wemerson. Realmente se trata de um atendimento cheio de falhas e desrespeitos com o consumidor. Queria parabenizá-lo por uma abordagem de uma questão tão importante. Abraço.
Wemerson Charlles da Fonseca Fraga
14/02/2007 11:04

Título completo:

O caos do atendimento comercial em Inhumas