Publicado em 30/05/2006 12:16

O conflito da cultura

Junte trinta e quatro partes de mentira

Junte trinta e quatro partes de mentira
Coloque tudo numa forma
Untada previamente
Com promessas não cumpridas
Adicione a seguir o ódio e a inveja
As dez colheres cheias de burrice
Mexa tudo e misture bem
E não se esqueça: antes de levar ao forno
Temperar com essência de espírito de porco,
Duas xícaras de indiferença
E um tablete e meio de preguiça

 

Para aqueles que se interessam em ensinar as imbecilidades, surge então a oportunidade de mostragem da definição de cultura. A muito tempo esta palavra causa conflitos em sua definição, sendo que esta de acordo com o sociólogo inglês Raymond Wllians, a palavra vem do Latim - colere - e definia inicialmente o cultivo das plantas, o cuidado com os animais e também com a terra (por isso, agricultura). Definia, ainda, o cuidado com a educação; o cuidado com os deuses (o culto); finalmente, o sentido mais comum que o termo possui em nossa sociedade: o de que o homem que tem cultura é um homem culto. É aquele que cultiva (no sentido de desenvolver, praticar, cultuar) a inteligência, as artes e o conhecimento presente nos livros.

 

Sendo assim seria fácil, o homem mais culto do Brasil foi aquele que publicou o livro: como ganhar no jogo do milhão. Programa de conhecimento gerais que era transmitido na emissora de TV Sbesteira. Quer dizer que os escolhidos pela meritocracia ou pelo sistema não possui cultura? Só os artistas que escrevem largas linhas, os artistas plásticos da virtude, os músicos das partituras que possuem arte ou cultura?

 

A cultura como conceito antropológico vem sofrendo indagações já que ela foi criado em finais do século XVII e fim do século XIX e para justificar a superioridade do homem branco europeu. No Brasil está o exemplo de Nina Rodrigues interessado em conhecer a cultura negra, buscando compreender a vida e os costumes da população africana que viera pra cá como escravo. As interpretações eram em sua maioria etnocêntricas - compreendendo o negro e mesmo o índio como raça inferiores aos brancos europeus.

 

Dentro da trajetória da cultura, seja ela brasileira, regional ou local sofre com as argumentações egoístas daqueles maus informados da historia e tradição e criação da arte no Brasil. Desde os romancistas do século XIX no Brasil vem sendo publicadas obras a respeito dos elementos nacionais. Castro Alves (1847-1871) denunciando as atrocidades da escravidão, José de Alencar (1829-1877) valorizando o índio que antes era visto como defeito, Silvio Romero coletando contos e estórias populares do interior do país, querendo encontrar o Brasil distante da cultura européia, Euclides da Cunha (1876-1909), descreve cientificamente o sertanejo nordestino percorrendo o sertão da Bahia e relatou o massacre de Canudos. Então a partir desse exemplo podemos perceber a preocupação dos artistas brasileiros em romper com os padrões vigentes, independentes de sua concepção político-ideológico, a uma preocupação com a questão da nacionalidade e com a definição de uma cultura brasileira e principalmente popular.

 

Século XX foi marcado pelo turbilhão da velocidade constante da luz, os conflitos entre capitalistas e os comunistas, guerras mundiais e o avião, nas artes o cubismo, o expressionismo, o dadaísmo, o fauvismo e o surrealismo. Meu amigo pessoal Mario Schmitt diz: A intenção agora é ridicularizar. Na pintura, ninguém mais se preocupa em retratar fielmente a figura. O ideal são as coisas violentas as figuras deformadas, o espaço subvertido. Na música, harmonia dissonantes, melodias selvagens, ritmos desconexos. Na poesia, rir-se da poesia bem comportada. A rima, a métrica, nada disso importa mais. A poesia e a literatura passa a falar do homem comum, do cigarro, do automóvel da luta de classe dos moveis da sala a idiotice de ser um funcionário burocrático.

 

Na semana da arte moderna de 1922 este movimento teve o intuito de mostrar os elementos da cultura brasileira, Macunaíma, a obra mais famosa de Mario de Andrade, onde o autor discute a cerca do caráter do homem brasileiro. Esta semana foi organizado pela burguesia cafeeira paulista. Mesmo assim, teve gente que ficou chocada, o modelo era novo para as pessoas que estavam anestesiadas pela arte acadêmica, mais uma vez meu amigo Mario está certo que existem muitos intelectuais jeca-tatu brasileiros não conseguem digerir as novidades e os movimentos de vanguarda culturais.

 

Nos anos 60 o tropicalismo na liderança de Caetano Veloso, Gilberto Gil introduz guitarras elétricas nas canções, retratam temas relacionadas ao folclore usando orquestrações consideradas eruditas. Passados os anos de chumbo na ditadura militar, onde a cultura era transpassada pela critica autoritária do regime, artistas brasileiros conseguiram através de metáforas driblar as censura e trazer algo inteligente para se pensar. Em tempos de globalização da economia e da cultura aumenta a discussão do termo entre os estudiosos intelectuais, já com a necessidade de considerar uma serie de nossos fatores que vem aquecendo a discussão ao invés de discutir uma cultura brasileira, é mais oportuno falar em culturas brasileiras, dada a necessidade de contemplar uma serie de elementos como: divisão de classe, diversidade étnica, as especificidades regionais, a questão dos gêneros, que dão à  nossa sociedade um caráter antes de tudo multicultural.

Neimar Carlos

Neimar Carlos

Superior Incompleto em História, Curso técnico em Mineração e curso técnico em Patologia Clínica
Iniciação Científica (CNPQ) - Massacre de Canudos no imaginário da literatura brasileira - Universidade Católica de Goiás. Afro Descendência em Goiás - Universidade Estadual de Goiás - Professor do Colégio Monsenhor nesta cidade.

COMENTÁRIOS

Comentar usando as redes sociais

Caixa de comentários TUDOIN


Resposta ao Comentário (Cancelar)

Lista de Comentários

Cecília
10/11/2007 14:05

Ótimo Texto.

Adorei o seu texto, e como unificou em uma linguagem simples e de fácil entendimento tantas coisas importantes. Parabéns!
Órion Carlos
26/10/2006 00:12

Cada dia o melhor!!

Tio Neimar, parabéns pelo sua profissão e continue trabalhando!! Abraço, seu admirador Órion DISQUEBEDE , KKKKKKKKKKKKKKKKKK
Drougras
08/09/2006 19:26

conclusão

Iae neimá, num vou comentar sobre o artigo naum to com preguiça de ler, mas cara cabei de concluir todo maldito aluno é puxa sakooooo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Deixa so eu ler... Ae eu escrevo algo util sem desprezar o resto t+
Lunara Teles
14/08/2006 22:11

Cultura..

As vezes é meio difícil entender a cultura de outros povos, de certas épocas da história.É fácil criticar os ideais das pessoas!! Você citou a Primeira Semana da Arte Moderna como exemplo,onde mta gente ficou escandalizada com tantas novas formas de arte! Parabéns!Seu artigo ficou mto bom!!
bruna
09/08/2006 17:21

leia com atençaõ

oiiiiiiiiiiiiiiii td bom ?????????????? achei isso nada vê com o titulo não me ajudou no trabalho só me fez perder tempo então da proxima vez faz um melhorzinho ta bom xauuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu
Thamima
15/07/2006 18:36

Parabéns...

Cada dia que passa, tenho mais orgulho de você! Te Amo!
Quemistry ninja
01/07/2006 18:26

leia...

A título de esclarecimento, e sem puxa saquismo, leia o texto do professor João Paulo, nesta mesma coluna. Apesar de ser meio exagerado ele expõe o novo panorama que emerge: Blues Nova - vc me deve esta hein jp!
Cristiano Alvarenga
01/07/2006 15:16

Para Ivone...

Cara Ivone, não pude ignorar tamanhoa estupidez, no que se refere seu comentário ao texto do autor, eu disse várias vezes e repito, toda instituição ALCAI não passa de uma promoção social, vc e todos os membros da mesma estão longe de serem escritores ou muito menos intelectuais concordo plenamente com os comentários de quemistryninja. A propósito o único respeito que a referida instituição recebeu foi só por vcs membros. Cristiano Alvaerenga PS: Ah! desculpe-me mas seu comentário é mesmo provinciano.
para a mesma
29/06/2006 16:50

dificil?

Dificil é ler a Crítica da Razão Pura e a Fenomenologia do Espírito, o que vc escreveu é de um provinciano explícito e evidencia a deficiencia artística inhumense , que se instituionalizaoue que carece de qualquer referencial teórico verdadeiro. Preferem, e isto é evidente, evidenciar os trofeus, medalhas, títulos, cargos e de elogiarem. Francamente, onde há arte nisto?
Ivone de Oliveira e Silva
25/06/2006 19:00

qn- em atenção...

... em atenção, a qn - ? Dificil mesmo de entender, meu comentário. Principalmente quando se tem uma visão de mundo tão do próprio tamanho que a sua aldeia. diletante? não diria, bom senso não nunca tive. A arte traz consigo a propria recompensa qn- exprerimente! até... Ivone
qn
22/06/2006 20:27

para ivone da alcai

o que vc quis dizer com seu comentário? Suas experiências e posições enquanto membro da ALCAi só tem valor para vc, afinal o que significa uma academia no interior....a ALCAI é mera diletante, qualquer um com bom senso sabe disto!
Edson Neto d
22/06/2006 15:08

Tududbom

Kra parabéns aí por sua coluna já que ela mostra de maneira clara e objetiva como a cultura vem sofrendo transformações ao longo da história...;por outro lado mostra como ela é importante para o ser humano já que por meio dela nós deixamos d ser alienados aumentando assim nosso conhecimento...abraços
Vladimir Neri Ribeiro Filho
13/06/2006 22:05

Parabens Neimar

Neimar primeiro eu gostaria de parabeniza-lo por sua coluna que esta de parabens. A cultura é um assunto que vem muitas vezes sendo esquecido pelo povo, a diferença entre raças, cores e cultura não deve ser levada em conta como muitos levam achando que indios e negros são inferiores aos brancos o que prediminava na cabeça da burguesia do século passado e o que ainda se ve na ideologia de hoje por incrivel que pareça. O seu comentario em relação a perda de cultura do povo atual que so pensa em mulher, bebidas, na vida cotidiana do ser humano atual e etc. Tambem esta de parabens, voltarei mais vezes para poder estar lendo mais coluna suas.
Ivone de Oliveira e Silva
10/06/2006 12:38

Apesar das águas de março...

Bom dia! Professor, Neimar Carlos ... JÁ TEREM fechado o verão, sinto que não poderia deixar de abrir parenteses ao tema tão bem abordado pelo Sr., nesta máteria que diga- se uma verdadeira aula de história da Cultura ou Cultural? porém devo adimitir e agora como membro funcional de uma entidade de representação e respeito pelas Letras Ciencials e Artes, sendo então composta por pessoas que em maior ou menor grau de cultura ou cultural como o senhor queira, esses compõem a verdadeira história sócio cultural dessa cidade a que aprendemos a respeitar amar e até entender. Acredito que o senso comum talvez seja ainda o grande impecílio para o crescimento em todas as esferas em todos os lugares, não obstante aqui em Inhumas. Portanto fica aqui meu comentário e segue: Por gentileza, a observação a sigla da ACADEMIA DE LETRAS CIENCIAS E ARTES DE INHUMAS- ou seja ALCAI. Para que o senhor possa entender e aprender até por estar ensinando, pois quem escreve ensina e quem lê aprende. Muito Prazer. Ivone de Oliveira e Silva / 1a. Scretária da ALCAI / Membro Conselho Mul. da Cultura de Goiânia / Membro Fundadora da Comissão Mul. de Folclore de Inhumas / Membro Fundadora do Instituto Histórico e Geográfico de Inhumas / Membro eftivo da UBE- GO / desde 1995. / Membro do Forum de Criação da TVE - UFG. / Membro da Comissão Goiana de Folclore do Estado de Goiás. Sendo eleita á secretária geral em Assembléia Geral.
Michelle
09/06/2006 16:10

Muuito bom..

Nossa professor! arrepiei! hehehhe... muito bom msm focou super interessante e eh um otimo assunto!muito sucesso pra vc! bjos xD
Kamylla Henrique
03/06/2006 14:34

Adorei...Parabens...

Adorei o seu artigo PROFESSOR... Voce trabalhou com um assunto bastante interessante, a cultura!!! Continue sempre sendo essa pessoa com essa enorme capacidade. Os seus artigos sempre sao muito bem comentados... Parabens!!!!Precisamos de pessoas assim na nossa sociedade...
lays lara
02/06/2006 17:52

Isso Ai

FALA NEIMALA... TO AKI SO PRA INJUA MSMO NEM LI O TEXTO...HEHEHE MAIS ELE TA OTIMO ,CARA BOA... MIAS FLWSSS ABRAÇO CUMPADE
Tiago Cavalieri Castro
02/06/2006 13:46

Parabéns!!!!!!!

Parabéns professor!!! Seu artigo ficou super intessante,afinal você soube expor de forma muito vísivel e compacta a grande importância e o feito que a cultura representa em nossas vidas.Achei legal quando você mencionou alguns dos mais importantes romancistas,os quais são responsáveis pela presença da cultura em todos os momentos!Ficou muito bom mesmo viu,e continue escrevendo sempre,para que assim possamos ampliar nossos conhecimentos referentes aos mais diversos assuntos de sua área!Um grande abraço e até mais!TIAGO
Marcia Cristina Correia
31/05/2006 18:42

Admiração

Que prazer imenso sinto em ler um texto seu... Sempre soube da sua capacidade intelectual... Mas minha admiração por você também passeia pelas áreas filosóficas e humanisticas... tenho a satisfação de ser sua amiga. Pessoas inteligentes e corajosas, como você, merecem o pedestal da sociedade...Pena que vivemos em uma sociedade mediocre que arrota cortejos e tapa seus ouvidos aos verdadeiros pensadores...
Homero dos Santos Nascimento Júnior
31/05/2006 09:24

A Busca pela Profissionalização

Primeiramente quero parabenizar ao professor Neimar em que tive a honra de participar das suas aulas e debates no ilustre Colégio Monsenhor. A História é sempre benéfica a partir do momento em que é transmitida em sua íntegra, como foi feito pelo discente Neimar neste texto. Quero apenas comentar sobre a vida do ser humano no mundo contemporâneo em que se torna angustiado por não saber realmente quem é e para onde vai entrando em conflito com o próprio EU. Homero dos Santos N. Júnior discente de Medicina.
João Paulo Silveira
30/05/2006 14:58

Multiculturalismo

o autor toca em um ponto que é extremamente interessante, nossa diversidade cultural. Entendo que a consciência desse mundo diverso é essencial para pensarmos os rumos da cultura, enquanto produção intelectual. Acredito que o hábito de se relacionar com formas de representação do mundo nos proporciona a verdadeira antropofagia que já mencionava a semana de 22. Bom texto professor.
Tássia
30/05/2006 14:22

Tássia Ricciolli

Nossa Neimar!tá fraco não ein?!hehehe...muito bom o texto!!cultura...grande assunto..e muito bem comentado por vc!!Te desejo apenas sucesso,mais sucesso...e como prometido a muito tempo,meu comentario ta feito(fico pequeno mas o que vale é a intençao neh?!)!!tudo de bom!