Publicado em 12/06/2008 11:40

Pelo emprego em Inhumas

O cidadão inhumense tem o direito de ser atendido pelo serviço público de saúde no município...

Qualquer decisão do setor público ou privado causa impacto na economia, resguardadas as devidas proporções de natureza territorial como municípios, regiões, estados e país. Consequências positivas ou negativas so advindas dessas decises. Para melhor entender podemos observar o movimento de dois agentes da economia em Inhumas, pelo setor pblico, a prefeitura municipal, e pelo setor privado, a usina Centrolcool. A economia do Município está ancorada nestes dois maiores empregadores, responsáveis por cerca de 1700 funcionários em períodos normais, um terço da mão-de-obra direta empregada em Inhumas.

Quando a prefeitura paga funcionários e fornecedores em dia esta medida impacta positivamente nas transações do comércio e serviços. Quando a Centrolcool atrasa com funcionários e fornecedores por um período superior a trinta dias, impacta negativamente na economia local, podendo refletir no aumento da inadimplência no comêrcio e serviços, bem como em alto grau de dificuldade das famílias dependentes da empresa. O efeito ocorre em cascata, ou seja, quem não recebe não tem como pagar o que deve, podendo significar desequilíbrio na economia. Uma redução no fluxo circular da renda em Inhumas indica menos emprego, menor renda, menor consumo e menor produção da economia local.

Outro exemplo, quando a prefeitura compra das empresas do Município ela está favorecendo a alguns poucos selecionados ou mesmo a um conjunto de empresas locais. Quando ela contrata serviços de fora, está gerando empregos fora. Isto tem acontecido nos casos de pacientes na área da saúde que são encaminhados pela secretaria municipal de saúde frequentemente para hospitais de Nerópolis e Goiânia, mesmo para situações de parto, tratamento com neurologista ou U.T.I. Nestes casos pode prejudicar o setor de serviço hospitalar que fica impedido de contratar ou manter profissionais especializados e a prpria população, que dependem desses especialistas e não podem pagar pelo serviço.

O cidadão inhumense tem o direito de ser atendido pelo serviço público de saúde no município, e no se deslocar para outro por orientação da secretaria da saúde. Médicos e poder público não se entendem sobre um acordo de valor de honorários, assim a população necessitada da saúde deslocada para hospitais de municípios vizinhos. A prefeitura alega responsabilidade com o dinheiro público ao não concordar com o valor dos honorários cobrados, médicos e hospitais reclamam da baixa oferta de honorários por parte do poder público. Até o fechamento desta edição não se tem notícia sobre a solução deste impasse, mas acredito num possível acordo entre as partes.

Importante perceber que qualquer movimento destes agentes modifica o cenário local, no lucro ou prejuízo para as empresas, famílias, geração de impostos, emprego e renda. Outro dia numa entrevista de rádio fui perguntado sobre como se justifica a boa circulação do dinheiro na economia de Inhumas, e a resposta óbvia, basta observar que algumas empresas locais vendem para outros municípios e estados, e esse movimento ajuda na boa circulação do dinheiro, associado, claro, às aposentadorias e salários dos servidores do governo estadual e federal. A saída é o Município ter uma maior oferta de empresas gerando emprego e renda de forma pulverizada para que não se tenha todos os ovos em duas cestas.

Welington Rodrigues

Welington Rodrigues

Economia, pós-graduando MBA em Gestão de Negócios pelo IBMEC.
Diretor da Project Consultoria Especialziada, autor do livro "Por que Inhumas é assim?".

COMENTÁRIOS

Comentar usando as redes sociais

Caixa de comentários TUDOIN


Resposta ao Comentário (Cancelar)