Publicado em 23/09/2006 21:19

Tributo à princesa

Convida-me aos delírios,;Faz-me real;Ameniza minha tristeza;Buquê mimoso...

Convida-me aos delírios,
Faz-me real,
Ameniza minha tristeza,
Buquê mimoso...
De mel
O tom do olhar,
No castelo de sonhos
Abrem portas e janelas,
Nos aposentos saciar.
O diadema de carinhos,
Flores secando espinhos
Fazendo anjo revoar.
Rendas e bordados
No teu seio
Fulgurando desejo.
A fazenda do teu leito
Expressando magia,
Pecado majestoso
Vertendo carícias,
Do ontem fez novo dia!
Qual doce romance,
Cristal de rocha,
Perfume do oriente,
Brisa do sul,
Manjar sagrado!
Entre rosas,
A rosa!
Julieta e Cinderela
Ficaram nas páginas de um conto,
Enquanto vossa majestade
É personagem real,
Pureza e encanto!

Ivan Zarur

Ivan Zarur

Inspirado pelas suas professoras, aventurou-se no mundo da Literatura aos sete anos de idade. Seus primeiros trabalhos publicados foram em forma de cordel: "O Velho Ricardino" e "Não conseguiu e para o Céu subiu". Com "Mundo e Mudanças" venceu o Festival dos Campeões de Itaberaí-Go.
Publicou vários trabalhos na revista Diadema Real, da Editora Cristã Evangélica do Brasil, entre eles, "Transformação", "Coisas da vida", "Mãe" e "Pastor Amado". Minha BIOGRAFIA completa, bem como outras de minhas obras estão disponíveis no meu site: www.zarur.no.comunidades.net

COMENTÁRIOS

Comentar usando as redes sociais

Caixa de comentários TUDOIN


Resposta ao Comentário (Cancelar)

Lista de Comentários

Veronica
24/01/2007 17:41

Poema

ya de bueno conhecem quien soja quiero felicitarte por você poema.debe ser muy afortunado esquadrinha mujer o quien é esquadrinhado escribistes. asi que yo você desafio une veas de cuando de sorpresa aqui este posteo o ordenam ojala de poema de un você recuerda de guste,y que você esquadrinha palabras por ser chileno eu traducir de mucho de costo. beso de un a Verônica como para enlate verso de un de escribir pensarte de pecado, amarte de pecado, pecado imaginarte en mi mentiras como hacerlos,... isto ellos de en no estes você adornandolos o decoram belleza ame llenandolos pasion, felicidade,... regocijo ternura de y como escribir, isto ya no você tengo o lado de mi isto terra queda un recuerdo bronzeado como para enlate escribir isto cada carta, puntuación, melodia de y,... estan dedicado para você
Cristiano Alvarenga
10/10/2006 10:17

Basta!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

É hora de acabarmos com essa poética baixa e infantil. Me irrita a ignorância dos indivíduos que acreditam-se Machados e Drummonds. O universo literário, em destaque o inhumense, mais parece um circo. Vellhos congratulam velhos. Novos imitam velhos nas rimas. É natureza rimando com beleza. É amor rimando com dor. Afinal, onde foi parar a verdadeira poesia. Tenho nojo da produção literária de minha cidade. Tenho noje de quem vence um concurso de uma escola de quinta como o Rui Barbosa e vem vomitar essas porcarias literárias. Basta. É uma falta de respeito com o próprio leitor que busca algum reflexo cultural nesse site. Basta! Mil vezes Basta!