Publicado em 24/05/2006 16:55

Visão de futuro na política.

O cenário sobre as candidaturas para as eleições que se avizinham é no mínimo desinteressante.

O cenário sobre as candidaturas para as eleições que se avizinham é no mínimo desinteressante. Vejo isto com preocupação, pois os candidatos que se apresentam são os mesmos de sempre, ou seja, de um lado, Irondes e José Essado, de outro, Roberto Balestra. São os mesmos há 30 anos. Como se diz, perdem a dentadura, mas não largam a rapadura.

 

Evidentemente são pessoas respeitáveis e que já contribuíram muito para o município, estado e país. Todos na etapa da aposentadoria. Aí é que reside o problema, não há nenhuma inovação, o que causa desinteresse da nova geração. Dois vereadores se apresentam também como pretensos candidatos, mas demonstram atuação muito fraca na câmara. Em se tratando de inovação no quadro político de Inhumas, devemos reconhecer o mérito do Roberto Balestra em fazer do Abelardo Filho prefeito atual. Lance de estratégia inteligente e que lhe garante condições para sua reeleição.

 

As novas gerações não querem saber do passado, e sim do que pode ser feito pela frente. Elas querem saber de candidatos que falem sua linguagem, que entendem suas necessidades, e não de candidatos que apenas pensam em se aposentar. Sou da turma dos 30 anos e a nossa geração em Inhumas sofreu bastante pela falta de geração de emprego e melhor renda no município nos últimos 10 anos. O modelo adotado pelo PMDB está ultrapassado, tanto prova que perderam a eleição no município para um jovem advogado que aprende bem as lições da política ensinada pelos companheiros do partido e até da oposição, e está caindo na graça do povo. Vamos supor que José Essado tome bomba novamente, o que poderá acontecer? Certamente que o partido poderá sofrer uma crise interna, e até mesmo o Dr. João Antonio terá dificuldades para tirar o PMDB da U.T.I. A situação deles poderá se agravar ainda mais caso o prefeito Abelardo Filho faça um bom mandato e decida pela reeleição, deixando o PMDB de fora do governo municipal por 08 anos, quem sabe 12 ou mesmo 16. Este é o resultado da intransigência e da falta de investir em novos valores do município.

Welington Rodrigues

Welington Rodrigues

Economia, pós-graduando MBA em Gestão de Negócios pelo IBMEC.
Diretor da Project Consultoria Especialziada, autor do livro "Por que Inhumas é assim?".

COMENTÁRIOS

Comentar usando as redes sociais

Caixa de comentários TUDOIN


Resposta ao Comentário (Cancelar)

Lista de Comentários

Adelia Belcore cintra
14/06/2006 06:29

Parabens pelo Profissionalismo meu jovem.

Meu jovem sou Pesquisadora da Faculdade Uni/Camp/e elaboramos Auto- biografias de quimicos que lutam p/combater e estudar o virus H.I.U de celulas. Sou da cidade de Florianópolis sta/Catarina Pos-doutorado e mestre em celulas e Genetica Humana. Fazendo uma Pesquisa no Inicio desta semana me deparei com com um Perfil de Bioquimico que esta atuando na area que realizamos o Estudo minucioso.Pegamos varios profissionais da area e o q mais se destacou neste grupo foi um jovem q tb citava seus conhecimentos em laboratório,além destes dotes profissionais ,podemos notar que atua na area de policia civil. Com o nome ( John Cassio Silva.) Gostariamos de saber mais sobre este profissional. A sua história de vida e como chegou a concretizar sua formações academicas. A idade que conclui este estudo tão importe para o seculu que estamos. Pois a idade é pouco e com tantas abilidades profissionais. Já que este profissinal é uma figura Politica pedimos que nos envie a Auto -Biografia do mesmo. Para podermos selecionar aqui em nosso estudo os profissionais da area ,estamos selecionando um ou dois de cada estado. Meu jovem está de parabéns mais uma vez pelo jornalismo que realiza muito profissional e serio,passou-nos credibilida. Peço ao Jornalista que nos de retorno o mais breve Possivél. Esta auto biografia,inclua : Estudo,idade,carreira,ano de formações,vida pessoal e sua lutas as dificuldades q encontrou. Em si um todo. Aqui vai meu email ,esta a sua disposições para que posso ser nosso correspondente,breve contaremos com a sua presença em nosso nucléo de descobertas de talentos. Fica aqui fixado que entraremos de inicio em contato somente c o o jovem e competente jornalista. Gratos. Equipe de Estudos Genética Humana. Dr.Adelia Belcore Cintra Pedimos resposta o mais breve Possivél
ricardo dutra
12/06/2006 14:58

BRASIL FUTEBOL CLUBE

BRASIL FUTEBOL CLUBE. Em maio de 2006, fanáticos torcedores da seleção brasileira de futebol, motivados pela vontade incontrolável de assistirem a copa do mundo, organizaram um protesto para reivindicar televisores. O saldo do protesto foi centenas de mortes e o pânico geral entre a população paulista. Mas para a felicidade geral e o bem da nação, chegaram as televisões, foram desligadas algumas torres de celular, cessaram as rebeliões, e todos estão em paz para torcer pelo Brasil. Apesar da paz já ter sido reconstituída, uma comitiva de deputados se dirigiu, ou melhor; voou até o presídio de insegurança máxima para tomar o depoimento do senhor Marcola. De acordo com noticias publicadas pela imprensa, as questões que intrigavam os nobres parlamentares da CPI do tráfico de armas, ou dos bingos, (sei lá são tantas CPIS) eram as seguintes: O Marcola é o líder do PCC? De onde vem e por onde entram as armas do PCC? Houve acordo entre o PCC e o governo para o fim dos ataques? Eu gostaria que no próximo encontro eles perguntassem ao Marcola quem é o líder dos anões do orçamento, ou do mensalão, ou dos sanguesugas, ou do valérioduto, ou dos recursos não contabilizados, vulgo caixa dois, ou dos golpes no fundo de pensão... Eu queria mesmo é saber pra onde vai o bicho da goiaba quando não é tempo de goiaba? Há mais mistérios entre os bandidos com televisores e celulares e os partidos com bandidos e parlamentares, do que imagina nossa vão DEMOcracia. Para tentar auxiliar os parlamentares, de acordo com seu estatuto, o PCC foi criado para proteger os presos contra abusos e torturas sofridas em um anexo da casa de custódia de Taubaté. Já de acordo com um antigo governador, o PCC começou como um time de futebol, e como no Brasil tudo tem algo a ver com futebol, eu prefiro acreditar na explicação do ilustre ex governador, afinal ele é especialista em sistema carcerário, principalmente em ordenar massacres usando um telefone. Será que o massacre do Carandiru não foi o pontapé inicial para o jogo entre polícia e bandido? De acordo com números oficiais o placar do primeiro tempo foi 111 X 0 para os policiais, no segundo tempo os bandidos estavam quase empatando o jogo, mas complicou a contagem afinal cidadãos inocentes invadiram o campo de jogo e acabaram entrando para as estatísticas. Há mais mistérios, corpos e balas perdidas, entre os bandidos a policia e a justiça, doque imagina a vã criminologia da cidadania. Estava eu tentando entender o porque de tudo isto, quando fui bombardeado pela imprensa com a notícia de que havia mais bolhas entre o pé e a chuteira do que imaginaria nossa vã idolatria. Não bastasse isto, nosso presidente não se conteve a fazer a pergunta que não cala. Existe mais gordura entre o penta e o hexa doque imagina nossa vã fisiologia? Quando todos pensavam que poderiam desvendar este mistério que vem preocupando a população nos últimos meses, eis que surge outra dúvida cruel. SERÁ QUE HÁ MAIS ALCOOL ENTRE A BOCA E O CÉREBRO, DO QUE IMAGINAVA NOSSA VÃ IDEOLOGIA? Graças a DEUS, para felicidade geral da nação, os presos do PCC já tem tevê igual as dos mensaleiros sanguesugas do PTT, PSDB, PMDB, PFL, PP, P DE SEI LÁ O QUE, melhores que as tevês dos órfãos do Carandiru, ou das viúvas dos ataques aos policiais, e as bolhas não existem mais, e para sacramentar um tempo de paz... ...O ILUSTRE PRESIDENTE DO BRASIL FUTEBOL CLUBE, alheio a todo caos social, político, cultural que assola o país, tomou a iniciativa de enviar uma carta ao fenomenal, com elogios, e pedidos de desculpa, ISTO É QUE É INICIATIVA DE UM LIDER QUE PRA ALEGRIA DA NAÇÃO, SE EXPÕE AO RIDÍCULO PELO BEM DO FUTEBOL. O penta foi comemorado com cambalhotas, e o hexa como será que vão homenagear a idolatria de uma nação alienada e idiota, quer dizer; bem representada e patriota? Há mais indagações entre os jogos da copa, do que suporta minha vã psicologia? Ricardo Dutra polititicas@yahoo.com.br
Luciano Silva Roriz
03/06/2006 18:16

Função Social

Embora meu comentario venha alargar a fileira daqueles que ja deram suas posições anto a respeito do assunto quanto em relação ao apreço para com o referido colunista, cabe lembrar que ente (nos)os educadores, a função social de cada um e aquela que não outra: conscientizar a gama de estudantes em nosso municipio em varios aspectos- a politica de ontem e hoje e seus representantes locais, a importancia do voto para o jovem e para os candidatos, e tantos outros topicos que deste tema emana. Urge lembrar que façamos este papel de orientação sem interferir no direito de escolha, ainda que a existencia de muitos jovens de visão critica seja frequente nos dias atuais sempre e bom falar. Abraços. Prof. Luciano Silva Roriz- IHGI
LUIZ GUSTAVO KLEIN
31/05/2006 17:39

Verdades.

Venho externar os meus votos de parabéns, ao amigo e por muito tempo companheiro de partido, Welington Rodrigues. Sem dúvida nossa cidade precisa de novas lideranças, e tenho plena certeza que a mudança ja esta começando!!!! abraços a todos!
Cleumar de Oliveira Moreira
27/05/2006 22:30

Fazer politicus

É curioso analisar o processo político em Goiás. Comparo o labor politicus com o ato de observar os fenômenos naturais. Gosto de observar a chuva, de sentir o cheiro da terra molhada, de sentir o brilho das estrelas em noite de apagão, de perceber o poder da lua em noites de tão claras. Assim comparo a politica à essa arte sensoria da observação. Lidar com o poder e se envenenar com ele; poder é algo maniqueista e acaba despertando naqueles que o manipulam o espírito maquiavélico. A herança maquiaveliana pulveriza nos sujeitos o poder sensório, aniquila a perspicácia, e fortalece a mecanicidade da dominação. Indiferente da realidade política goiana, historicamente marcada pela luta entre facções, extremos, os grupos se arregimentaram em sua maioria em dois grandes blocos (república velha, republica getulista, bipartidarismo militar). No tocante à Inhumas isso não se fez diferente. Por mais que os partidos não fossem monolíticos, os grupos politicos distribuidos em seus partidos aglutinaram-se, através de conciliábulos e alianças, em torno dos grandes partidos. Falo disso vislumbrando um jeito novo de de fazer política. É notório como Marconi Perilo aprendeu o pulo do gato e degolou o velho cacique. Lembremos era o menino que encontou os goianos em apenas 3 meses de campanha. Lembremos, não temos a memória fraca e muito menos ratiadora; em Inhumas o processo foi semelhante ao ocorrido em nível estadual. Quem acreditava que aquele menino de 32 anos derrubaria o grande fenômeno politico de Inhumas?. Pelo andar da carruagem não é dificil de pensar quem será o proximo fenômeno político goiaberino. Mediante a queda em replay de Golias, é bom que laboriemos na política com outros métodos. Pensar que o poder representado pela Prefeitura Muncipal de Inhumas ou Palácio Goiabeiras é algo que simbolize o quintal da minha casa é prática retrógrada. Temos uma juventude sedenta de oportunidades. Caberá aos velhos caciques assumirem posturas de sapientes pajés para que possam continuar sendo indispensáveis na aldeia dos grandes guerreiros.
Warlley Hank
26/05/2006 08:18

Futuro

O analfabeto do futuro Não será aquele que não sabe ler nem escrever, mas sim alguêm incapaz de interagir com as maquinas inteligentes e participar de um processo no qual é preciso tomar iniciativas. Quem não tiver habilidades vai ficar excluido.
Gleidson de Oliveira Moreira
25/05/2006 00:31

POLITICA

Concordo com o Welington Rodrigues. A história política Inhumnese nos faz reféns dela. Prova disso é a dependência política para se conseguir emprego. Pena que essa garantia é perecível, pois renovasse a cada 4 anos. Aliás, ao contrário dos partidos, os políticos é que vão mal. Sua concepção de estratégias políticas não mudam e o PMDB tem demonstrado isso. A questão é: se a oxigenação política nesse país parte de gente com sangue novo, veja o caso e o que tem feito o do atual prefeito de Inhumas, Abelardo Vaz Filho, porque o PMDB insiste na permanência de ataques que fortalecem a oposição? Porque não se abre a discussões a politização dos jovens? Afinal, são eleitores e futuros esteios partidários? Enquanto o discurso e as prioridades dos velhos caciques não mudar o desinteresse dos jovens aumentará.