Publicado em 24/05/2007 13:06

Windows ou Linux?

Não é uma questão de um ser melhor do que o outro! Os dois são excelentes! Escolha o que é melhor pra você!

Quem tem computador em casa ou no trabalho sabe muito bem que aonde quer que você vá, a maioria dos computadores que você vê está lá o Microsoft Windows XP Professional ou Home Edition instalado. Certo?

Realmente o sistema operacional Windows é o mais popular do mundo. Nascido em 10 de novembro de 1983, este sistema operacional veio pra ficar e revolucionou a história da informática.

A primeira versão comercial do Microsoft Windows era distribuída em uma caixa com quatro disquetes de 5 ¼ polegadas e manual de usuário. A instalação era demorada e tudo se dava a partir do prompt do MS-DOS, o seu antecessor. O programa completo ocupava menos de 1 MB de espaço em disco.

De lá pra cá, o Windows sofreu diversas atualizações, modificações e ganhou novas versões. Veja abaixo as suas versões ordenadas de forma cronológica:

Windows 1.0, Windows 2.0, Windows 3.0, Windows 3.11 for Workgroups, Windows NT, Windows 95, Windows 98, Windows ME, Windows 2000, Windows XP, Windows 2003 e Windows Vista.

Mas o maior problema de se ter o Windows em casa ou no trabalho é a licença. A maioria das pessoas e empresas não possuem Windows original instalado devido ao alto custo deste sistema e dos aplicativos que precisam ser instalados para utilizar o PC. E mesmo assim, optam por utilizar este software por meio de uma cópia pirata por ser mais popular, mais fácil de utilizar e ter uma variedade de programas compatíveis com ele.

Pensando nisso, em 1991, um estudante finlandês de Ciência da Computação chamado Linus Torvalds, lançou o Linux, um sistema operacional revolucionário com compromissos democráticos, como o de seu código-fonte ser aberto, ser sempre disponível para programadores e ser totalmente gratuito. Com isso, prometia em curto prazo se espalhar pelo mundo e bater o Windows.

Várias empresas no mundo todo começaram baixar o Linux e modificá-lo de acordo com as suas necessidades e lançar a sua distribuição. Sua instalação já era a partir de um CD-ROM apesar do processo ser um pouco complicado para usuários inexperientes.

Entre as diversas distribuições de Linux, as mais conhecidas são: Red Hat, Suse, Fedora, Mandriva (união do antigo Conectiva com Mandrake), Kurumin e Ubuntu.

Mas o ponto chave do Linux é mesmo a sua gratuidade, ou seja, não é necessário pagar nenhum centavo para ter este sistema em casa ou no trabalho. Enquanto que uma cópia original do Windows XP custa algo em torno de R$500,00, o Linux é totalmente gratuito podendo ser baixado da Internet e o próprio usuário gravar em um CD e distribuí-lo à vontade.

Sendo assim, diversas empresas no mundo todo, entidades do governo e instituições educacionais e científicas começaram a implantar o Linux em seus computadores onde cada um deles obtiveram vantagens e/ou desvantagens em comparação com o Windows.

É certo que no começo, a variedade de programas para utilizar no Linux era muito baixa. Mas hoje, com a diversidade de distribuições do Linux e a disseminação do uso do software livre (gratuito) cada vez maior, a tendência é que aos poucos as pessoas passam a concordar com a idéia e utilizar o software gratuito em casa ou no trabalho. E mais! O processo de instalação facilitou tanto a ponto de qualquer pessoa hoje que saiba instalar o Windows XP, consegue perfeitamente instalar o Linux dependendo é claro da distribuição que estiver instalando.

O Linux Ubuntu, por exemplo, tem se tornado a distribuição mais popular entre os usuários domésticos por possuir uma facilidade cada vez maior de uso. Sem falar dos aplicativos que hoje estão cada vez mais compatíveis com os formatos de arquivos mais populares do mercado, principamente arquivos do MS Word e Excel.

Pra quem está habituado a utilizar o Windows, ao pegar o Ubuntu pela primeira vez verá que a dificuldade de uso será muito pouca. A diferença principal estará apenas no visual. Mas os programas em si, como o pacote OpenOffice ou BrOffice por exemplo, são bem parecidos com o Word e Excel. Para navegar na Internet, o Firefox é uma ótima alternativa.

Para se ter uma idéia, acesse o site http://www.planetarium.com.br/planetarium/noticias/2005/11/1131105360 para ter uma idéia da semelhança dos dois ambientes e quem até experimentar em casa a utilização do software livre.

A edição do mês de Abril/2007 da revista InfoExame da Editora Abril faz um comparativo entre esses dois sistemas e o MacOs, uma outra alternativa de sistema operacional não-gratuito. Vale a pena conferir.

Por mais facilidades e vantagens que o Linux tenha, dificilmente ele tomará mercado do Windows devido a sua popularidade. O Linux também veio pra ficar e é uma opção a mais para que as pessoas e as empresas tenham a oportunidade de escolher e decidir qual sistema utilizar acordo com as suas necessidades.

E isso é bom até pra quem está procurando emprego. Aprender um novo sistema é sempre vantajoso. Pois quanto mais conhecimento você tiver, mais chances de conquistar uma vaga você terá.

Jerônimo Martins

Jerônimo Martins

MBA Gestão de Tecnologia da Informação - Fac. ALFA; Especialista em Redes de Computadores - PUC Goiás; Graduado em Ciência da Computação - Fac. Objetivo.
Administrador de Infra-estrutura de TI do SESC Goiás.

COMENTÁRIOS

Comentar usando as redes sociais

Caixa de comentários TUDOIN


Resposta ao Comentário (Cancelar)