Publicado em 01/04/2016 15:37

Número de animais abandonados em Inhumas cresce cada vez mais e assusta

Ao andar pelas ruas da cidade, nota-se o alto índice de animais que vivem a deriva de sua própria sorte. A falta de consciência e responsabilidade de seus donos deixam gatos e cachorros em situação crítica e lamentável.

Foto internet.

Estima-se que a relação entre o homem e seus animais de estimação já existe há milênios, e, é fato que ela vem se estreitando cada dia mais, criando laços cada vez mais fortes e afetivos.

Há inclusive estudos que apontam que a convivência com os animais de estimação (especialmente gatos e cachorros) estimula o nosso bom humor, a diversão, combate a depressão, alívio de tensões e traz benefícios tanto para saúde física, como para a psicológica, contribuindo, portanto, para uma ótima qualidade de vida.

O grande problema é que nesta relação (homem/animal) nem tudo são sempre “flores”. Se você (assim como eu) mora em Inhumas, vai concordar conosco que o índice de animais de rua, vítimas do abandono está cada vez maior.

Infelizmente tem se tornado “comum” ao andar por ruas, praças ou bares de nossa cidade, sempre encontrar mais de um cachorro/ gato abandonado. Uns magros e a procura do que comer, outros acanhados pelos cantos - talvez por medo e proteção, e outros necessitados de carinho e atenção.

Em que pese já existir lei que visa a proteção contra o abandono e maus tratos aos animais (Lei Federal 9.605/98), a aplicação da mesma ainda deixa muito a desejar. Não há fiscalização, não há aplicabilidade ou sequer cumprimento das penas e sanções previstas em seus dispositivos.

O que, inegavelmente, gera nas pessoas o sentimento de impunidade e as “incentiva” sempre ao próximo e outro abandono, criando inclusive um problema de saúde pública.

O que leva afinal as pessoas a abandonarem seus pets?

Os motivos são diversos e numerosos, mas acreditamos em dois principais motivos que levam as pessoas a abandonarem seus animais de estimação. O primeiro deles é a falta de consciência do que significa (responsabilidade/consequência) em ter um pet em casa, o que leva muitos a simplesmente desistirem de seus bichanos ou cachorros. O segundo motivo, são as crias indesejadas.

Os donos não se preparam para evitar a reprodução de seus pets, não buscam soluções para evitar as crias indesejadas, como métodos contraceptivos ou castração. Assim, uma vez que o inevitável acontece a solução que lhes parece mais conveniente é abandonar os filhotes, geralmente em regiões mais afastadas da cidade.

Acontece que essa ação tem se tornado um círculo vicioso em nossa cidade, gerando um quadro quase irreversível que precisa ser mudado. Com a conscientização da população sobre as responsabilidades e cuidados indispensáveis com os pets, bem como com a intervenção e apoio do poder público, criando ações a fim de dar um basta nessas atrocidades.

Atualmente em Inhumas sabemos da existência de um grupo de voluntários denominado SOS Animais, que com muita boa vontade e unindo forças entre amigos e simpatizantes tem salvado muitas vítimas de abandono e maus tratos. Em entrevista com voluntária Rejane Cardoso de Brito “O grupo é formado por amigos sensibilizados com a grande quantidade de animais nas ruas abandonados, passando todo tipo de risco que as ruas trazem”.

O SOS Animais foi formado a 5 anos, e ainda tem muitas pessoas que confundem o que seria responsabilidade do grupo. Ressaltamos que não se trata de uma ONG, não tem sede própria, que eles não recebem incentivo financeiro de nenhum órgão público para realizar o trabalho. “Sobrevivemos de doações dos particulares, e por isso acumulamos várias contas nos consultórios e lojas veterinárias’’ frisa Rejane.

Segundo o grupo de voluntários, estima-se que há hoje cerca de 5.000 (cinco mil) de animais abandonados. E como são poucos voluntários com recursos escassos, não há como sozinhos, resgatar todos os animais. Ainda segundo Rejane “Desde o início já fizemos mais de 400 castrações, foram adotados mais de 300 cães e gatos, fora os que foram adotados diretamente pela página”.

É notável que o trabalho vem feito diferença nas ruas de Inhumas, mas ainda há muito o que fazer para melhorar. A voluntária Rejane acredita em medidas paliativas que deveriam ser adotadas pela população e governo de Inhumas, como por exemplo, campanhas para conscientizar a população sobre a importância da castração e as mazelas do abandono, construção de um canil municipal, assim como edição de Leis municipais mais severas.

Indispensável seria ainda que tivessemos o apoio das Polícias Civil e Militar, na apuração dos crimes de maus tratos e abandono que fossem denunciados.

Enquanto não há o respaldo necessário, os solidários à causa dos animais ajudam como podem. O grupo SOS Animais é apenas um exemplo (forte) que citamos, mas, sabemos que existem muitos outros anônimos que se importam e gostariam de ajudar.

Os animais têm vida, afeto, instinto e são muito vulneráveis, de modo que merecem ser tratados com respeito e dignidade. Diga não ao abandono! Diga não aos maus tratos. DENUNCIE. Procure a delegacia mais próxima e faça a ocorrência. Cobrem posicionamento dos nossos governantes, porque essa responsabilidade é nossa.

Como faço para contribuir/ajudar o SOS Animais?

  • O amigo pode ajudar doando ração ou dinheiro;
  • Dando lar temporário aos animais em recuperação;
  • Tem a possibilidade de usar a sua própria calçada para colocar uma casinha de cão ou gato comunitário;
  • Não abandonando;
  • Ajudando a cuidar dos que estão próximos a si;
  • Apadrinhando um animal;
  • Apadrinhando castrações.

Redação Tudoin

Fotos adicionais enviadas pela voluntária Rejane Cardozo

Número de animais abandonados em Inhumas cresce cada vez mais e assustaNúmero de animais abandonados em Inhumas cresce cada vez mais e assusta

COMENTÁRIOS

Comentar usando as redes sociais

Caixa de comentários TUDOIN


Resposta ao Comentário (Cancelar)