Publicado em 16/06/2007 21:45

Tinta, Papel e Eu

Do âmago das letras

(Poema)


Minha rugosidade atenta
é trêmula entre versos
rabiscados em guardanapos


Minhas esquinas palavras
dobram-se, curvam-se
desesperadas em febre


Contorcemos as veias
palpitantes em meus sonhos
(não somente em pesadelos)
e se voltam, colhendo versos


Minhas póstumas memórias
préstumas e pálidas
sempre rosas de certo medo
tomam-me as cores


Seus alvos, mais pardos
feridos por gotas de mim
contra o ócio declamam


Sapiência que me ausenta...
são temerosas inspirações
esquecidas no nada


Faltam luzes apagadas
restam-me as descoloradas
cinzas febris
de outrora em antítese


E perco-me entre linhas
(de feitas antes apáticas)
singelas fábulas de cantos...
sinto poeiras entre as vestes
ânsias em meus vômitos


Nossas vidas em sangues
bocas secas, folhas secas
e meu sempre outono
de vagos seres


Abismos olhos cândidos,
suas olheiras marcam-me
e respingo em frêmitos
levo-te minhas rimas
(entre rimas desconcertadas)
perseguidas pelos caminhos


Rubra, tua tinta derrama
e no gélido concreto
acorda-me em teus seios
magros de esperanças.



*Texto vencedor da categoria Juvenil do VI Concurso Kelps de Poesia Falada (2007)

Emerson Fraga

Emerson Fraga

Estudante do 3º ano do ensino médio do Colégio OLY.
Colunista e colaborador do Jornal Mercadão, da seção de cultura do site TUDOIN e do site litetrário Garganta da Serpente. Soma 26 prêmios artísticos, científicos e literários. 1º e 2º Lugar no III Concurso Nacional de Conto de Cordeiro (RJ)/Troféu Lygia Fagundes Telles. "Medalha de Ouro" pelo 1º Lugar Juvenil no III Concurso de Poesias "Letras do Divino", em Itanhaém-SP. "Medalha de Prata" pelo II Concurso Gente Miúda de Conto - Medalha Monteiro Lobato, promovido pela Academia PanAmericana de Letras e Artes. 1º Lugar Juvenil do VI Concurso Kelps de Poesia Falada (2007). Selecionado para antologia do IV Concurso Nacional de Literatura de Caçu nas categorias conto e poesia. Campeão da XXXI SACEM em conto, crônica e fábula. Premiado no Concurso Literário Internacional - Prêmio Cidade de Conselheiro Lafaeite (MG) na categoria crônica. Vencedor do concurso de texto e imagem ambiental "Minha Cidade é Meu Planeta", promovido pela Revista Época e British Council. Vencedor nacional de texto na 4ª Olimpíada Brasileira de Saúde e Meio Ambiente. Delegado brasileiro no Fórum Internacional Estudantil 2007, em Londres.

COMENTÁRIOS

Comentar usando as redes sociais

Caixa de comentários TUDOIN


Resposta ao Comentário (Cancelar)

Lista de Comentários

Ivan Zarur
18/06/2007 19:49

É ASSIM QUE SOMOS RECONHECIDOS

Parabéns pela poesia! Jamais deixe que o entretenimento das críticas roubem seu talento. Enlameado, empoeirado, ou perfumado, o poeta consegue ser diferente de todos sem que lhe tolham os encantos da imaginação. Continue vagando os escuros e cintilantes da incompreensão de muitos, pois nossa luz é a caneta!...