Publicado em 19/09/2007 11:31

Acidente de moto mata mais jovens...

Jovens morrem mais por acidentes com motocicletas do que em atropelamentos, segundo o Ministério da Saúde.

 Jovens morrem mais por acidentes com motocicletas do que em atropelamentos, segundo o Ministério da Saúde. Para a população de outras idades, os atropelamentos ainda são a principal causa de mortes no trânsito. Dados do ministério revelam que, em 2005, houve 2.284 mortes de jovens entre 15 e 24 anos por acidentes com motos, ante 1.219 atropelamentos na mesma faixa etária. Ao enfocar somente os adolescentes (de 10 a 19 anos), o ministério apontou que, em 2004, os acidentes de trânsito já eram a segunda causa de morte entre todas as outras, perdendo apenas para os homicídios.

A taxa de mortalidade entre adolescentes por acidentes de trânsito, em 2005, era de 15,8 por 100 mil habitantes (quase o dobro da taxa de 8,5 da população em geral). Mas 14 unidades da federação a ultrapassaram e os maiores índices foram registrados nos Estados do Paraná e de Santa Catarina - este último com um índice de 32,9.

Segundo Fátima Marinho, coordenadora de Informações e Análise da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, as mortes por acidentes envolvendo motocicletas têm aumentado em todo o País, enquanto a tendência dos atropelamentos é de redução.

A única cidade que conseguiu diminuir as mortes de motociclistas foi Belo Horizonte (Minas), por causa de um programa que alia os órgãos de trânsito e de saúde. Segundo Fátima, houve um mapeamento das áreas onde mais ocorriam problemas para depois serem adotadas ações preventivas e da área de saúde, como a alocação de ambulâncias mais próximas dos locais de acidentes.

Fátima prevê que as mortes causadas por acidentes de motos alcancem a liderança no ranking das mortes nos próximos anos. "A tendência é ainda de um crescimento sem limites", afirma. Segundo estimativas de especialistas, só a cidade de São Paulo tem 150 mil motoboys, mas apenas 3.496 estão cadastrados e regularizados, apesar de um decreto municipal de 2005 que fez uma série de exigências à categoria.

 As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

COMENTÁRIOS

Comentar usando as redes sociais

Caixa de comentários TUDOIN


Resposta ao Comentário (Cancelar)

Lista de Comentários

Antonio Marcos
05/04/2007 22:32

TEM DÓ

Inhumas nunca vai ter uma postura politica firme que representação popular junto a governo estadual ou federal algum.Afinal, como explicar o desenvolvimento de Inhumas no final dos anos 90 quando estavam aliados no poder municipal e estadual o mesmo grupo? Naquela ocasião, estava do lado do prefeito Luiz Otávio, o Dep. Fed. Balestra, e o governador Marconi.O que foi feito por Inhumas? Hoje é Abelardo-prefeito-, Balestra-Dep Fed.-, Valim-Dep. Est. e Alcides-Governador. Será necessário provar que os reais motivos do não desenvolvimento da cidade é mais que um jogo de interesse tanto do lado do Zé quanto do Roberto e o povo é massa de manobra? Não é preciso ser numerólogo para antecipar os resultados da vitória do Belardim a reeleição em outubro de 2008. O Divino Rufino ou Joâo Antonio, intependente de partido, sempre vão ser Zé.Do lado do atual governo municipal, todos são Balestra. Isso tá certo ou errado? Tá certo se tô no time de quem ganha, tá errado se eu estiver fora do time. A Política em Inhumas é sobrevivência individual.
Marcos Pontes
03/04/2007 23:20

ELEIÇOES MUNICIPAIS

Talvez nao seja impossivel: DIVINO RUFINO para Prefeito pelo PSB. Chega de Essado respaldando João Antonio, de Balestra mandando no Belardim. Inhumas precisa de um partido independente com candidatos independentes para ter postura firme frente ao governo estadual e federal.