Publicado em 13/12/2010 11:44

As Provas do ENEM em Goiás serão reaplicadas

Em Goiás o ENEM será reaplicado nos municípios de Anápolis, Bom Jesus de Goiás, Goiânia, Posse, Senador Canedo e Valparaíso de Goiás.

Os estudantes prejudicados por erros de impressão nas provas amarelas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) poderão fazer novas provas de ciências humanas e de ciências da natureza na próxima quarta-feira, dia 15 de dezembro, das 13h às 17h30min, horário de Brasília.

Os locais onde a prova será reaplicada já podem ser consultados em sistemasenem2.inep.gov.br/localdeprova utilizando senha e CPF. Após a prova, os estudantes receberão a declaração de comparecimento para justificar eventual ausência no trabalho.

Vale ressaltar que nenhum candidato é obrigado a realizar esta nova prova. Quem não comparecer terá corrigida a prova anterior.

As provas serão reaplicadas em cerca de 200 cidades, o Distrito Federal está de fora. Em Goiás, a prova será reaplicada em seis municípios: Anápolis, Bom Jesus de Goiás, Goiânia, Posse, Senador Canedo e Valparaíso de Goiás.

Os estudantes que, por qualquer motivo, foram convidados e não tiveram problemas com a prova amarela, ou realizaram provas de outra cor, devem simplesmente desconsiderar o convite.

Os alunos devem se apresentar com uma hora de antecedência no local da prova, com o novo cartão de inscrição (que está disponível no portal do Inep) e um documento de identidade com foto, além de caneta esferográfica preta.

No estado de Goiás a Universidade Federal de Goiás (UFG) vai usar o Enem como parte da nota do vestibular 2011/1 e disponibilizar parte das vagas pelo Sisu.

COMENTÁRIOS

Comentar usando as redes sociais

Caixa de comentários TUDOIN


Resposta ao Comentário (Cancelar)

Lista de Comentários

roberto cardoso
01/04/2010 11:26

http://www.anovaordemmundial.com

As pessoas estao acordando para a realidade: que a gripe é branda, que a vacina nao é tao segura quanto a OMS e o ministério da saúde afirmam e que os laboratórios farmaceuticos tiveram grande influencia sobre a OMS para diminuir o criterio para proclamar a pandemia nível 6 e a recomendacao para vacinar todos os países.


Foi comprovado que nos países que nao vacinaram nao houve mais mortes do que naqueles que se vacinaram:

http://www.anovaordemmundial.com/2010/03/diario-digital-de-portugal-gripe-ah1n1.html

"Houve uma manipulação e uma encenação por parte da OMS", acusou a eurodeputada ecologista francesa Michèle Rivais, que disse que a gripe A foi "a crônica de uma pandemia anunciada sob a qual se esconderam interesses econômicos da indústria farmacêutica".

A ministra polaca da Saúde, Ewa Kopacz, sublinhou que os governos "não devem ser reféns dos laboratórios", explicando que a Polónia decidiu recusar encomendas de vacinas contra a pandemia por causa das condições impostas pela indústria, que pareceram "pelo menos duvidosas".

Kopacz referiu que os laboratórios recusaram assumir responsabilidade por quaisquer efeitos nefastos das vacinas.

A ministra da polonia frisou que não só se registaram menos mortes por causa do vírus H1N1 do que por causa da gripe sazonal, como os países que não fizeram campanhas de vacinação não tiveram mortalidade maior.

Veja tambem:
http://www.anovaordemmundial.com/2010/03/opiniao-de-profissionais-altamente.html