Publicado em 19/11/2009 04:26

Chapa de Alcides tem nomes fortes para eleições 2010

Alcides elogia disputa de pré-candidatos para encabeçar “Nova Frente” e diz que grupo tem condições de vencer

O governador Alcides Rodrigues (PP) afirmou ontem, durante o evento de entrega do cartão do Programa Pró-Atleta, no auditório Mauro Borges do Palácio Pedro Ludovico Teixeira, que é bom que todos os prováveis candidatos da chapa governista, batizada de “Nova Frente”, estejam reivindicando a candidatura ao governo do Estado para as eleições de 2010. “É muito bom que isto esteja acontecendo. Nós temos nomes excelentes, e qualquer um deles tem potencialidades e qualidades suficientes para ganhar as eleições e fazer boa administração.” Alcides disse que não enxerga como guerra de egos a disputa pela candidatura entre os presidentes dos partidos da chapa – deputados federais Ronaldo Caiado (DEM) e Sandro Mabel (PR), além do presidente da Agência Goiana de Turismo (Agetur), Barbosa Neto (PSB).


“Não só os presidentes dos partidos estão aptos para serem candidatos, mas também secretários, o vice-governador (Ademir Menezes, do PR) e outras lideranças políticas. Temos nomes à altura”. O pepista deixou claro que não descarta a possibilidade de ter outros nomes além de Caiado, Mabel e Barbosa. Um exemplo é a possível candidatura do secretário da Fazenda, Jorcelino Braga (PP). Apesar de o homem forte da administração alcidista negar qualquer pretensão para encabeçar a chapa, fontes oficiais do governo alegam que existem grandes possibilidades de Braga ser o escolhido. Alcides explicou que não existe movimento “em prol de A, C ou D”, que a escolha será pelo melhor de forma natural.     

   
Mas não é o futuro candidato que preocupa Alcides e aliados, mas sim conseguir convencer a base a apoiar o “escolhido”. Alguns prefeitos, principalmente pepistas, já declararam apoio ao pré-candidato tucano, o senador Marconi Perillo (PSDB). Exemplo personificado é o prefeito de Inhumas, presidente da Associação Goiana dos Municípios (AGM), Abelardo Vaz (PP), que já declarou que só não apoiará Marconi se a “Nova Frente” for comandada por candidato que agregue a base.


O governador explicou que não existem regras que impeçam que um prefeito de um partido apoie candidato de outra legenda, mas que mesmo assim está conversando “pessoalmente” com prefeitos, vereadores e lideranças políticas. “Os líderes dos partidos estão confiantes. Mas, está muito cedo para dizer quem vai ficar com quem.”

Tainá Borela/Diário da Manhã 19/11/2009

COMENTÁRIOS

Comentar usando as redes sociais

Caixa de comentários TUDOIN


Resposta ao Comentário (Cancelar)

Lista de Comentários

rogerio rodrigues de oliveira
21/04/2009 06:07

48779110/82

É lastimavel ver o que fazem nossos politicos com o dinheiro do
contribuinte. Enquanto as ruas estao cheias de buracos,falta de
melhores condiçoes no transporte escolar,melhora na saude publica,eles na contramao so metem a mao.