Publicado em 04/07/2008 09:09

Comportamento - Férias escolares

Chegou a época mais esperada pelas crianças e pelos professores, mas não tão esperada pelos pais – as férias escolares.

 

Psicóloga dá dicas para lidar com férias escolares


    

Chegou a época mais esperada pelas crianças e pelos professores, mas não tão esperada pelos pais – as férias escolares. As crianças e os adolescentes, tendo estudado muito ou pouco, estão cansados e precisam dar uma parada. Eles não se cansam só de estudar, mas da própria rotina que se estabelece no dia a dia.
Alguns só vão para a escola formal. Outros têm uma rotina tão pesada, com cursos extras e esportes. Às crianças não sobra tempo para fazer o que mais gostam – brincar. Os professores, sejam eles de um ensino público ou particular, também têm uma rotina estafante. Lidar com crianças ou adolescentes em sala de aula, por mais preparados que possam ser, é algo que exige muito deles. Precisam recarregar as baterias. Não é fácil lidar com uma sala de aula, com os mais variados alunos.


E os pais acabam continuando com seus afazeres. Nesta época do ano a maioria deles não pára, gerando dúvidas do que fazer com os filhos. E o que fazer? Como entretê-los? Como preencher o tempo deles? O bom de tirar férias é não termos horários e obrigações. Podemos deixar o dia a mercê das nossas vontades.
Não necessitamos ter um planejamento e fazer das férias uma rotina mais pesada que a do trabalho. Algumas pessoas planejam viajar do primeiro ao último dia. Como se não pudessem parar (algumas não podem mesmo). Pode ser um resquício, ao menos nas grandes cidades, do ritmo alucinante que alguns vivem. Ou então uma dificuldade em estarem consigo próprias e com seus
familiares.


Com os filhos acabam agindo assim. Têm que preencher o tempo deles com atividades o tempo todo. Penso que uma das coisas que as crianças e os adolescentes podem ter nas férias é seu tempo livre. Acordar sem compromisso, poder brincar com as coisas que não tiveram tempo, assistir seu programa favorito na TV ou algum filme. E, é claro, podem realizar alguns passeios, sobre o quais devem opinar, dizendo o que gostariam de fazer, e não aquilo que os pais acham que deveriam fazer. Alguns pais aproveitam as férias para retomar matérias escolares que os filhos não foram bem. Férias são férias. De acordo com seus desejos, os pais devem avaliar as possibilidades financeiras e da qualidade da opção. Mas podemos ajudar nossos filhos nisso, oferecendo-lhes algumas opções possiveis.

Os pequenos costumam se divertir muito passando um tempo na casa dos avós. Ou quem sabe visitar uma livraria onde poderão escolher um livro e a leitura ser uma das atividades das férias (sem ser uma obrigação, mas diversão – boa oportunidade para estimular a leitura, mas sem enfiar-lhes um livro goela abaixo). Quando estamos com uma folga financeira, há os acampamentos, que as crianças e os adolescentes podem ir, mas sem passar o tempo todo. Na falta de recursos, podemos planejar no nosso tempo de folga alguns passeios grátis. Sempre existe um lugar para um piquenique e que só gastaremos com a comida. Ou para aqueles que podem ficar em casa com os filhos, planejar uma tarde de pipoca e filme. Os adolescentes têm a opção de passear com o grupo de amigos, sempre monitorados pelos pais.

Férias é um momento de descanso. Não precisamos torná-las um momento alucinante de atividades para os filhos. Todos precisamos de um tempo livre, em que fazemos aquilo que bem entendemos (dentro do possível e razoável) – quem sabe não fazemos nada. Só assim teremos chance do real descanso.

(Ana Cássia Maturano é psicóloga e psicopedagoga)
Fonte: Jornal O Popular

COMENTÁRIOS

Comentar usando as redes sociais

Caixa de comentários TUDOIN


Resposta ao Comentário (Cancelar)