Publicado em 03/07/2007 11:16

Educação e trabalho

Vejo com muita  tristeza acontecimentos de assassinatos em nossa querida cidade. Contudo, isto não é mera...

Vejo com muita  tristeza acontecimentos de assassinatos em nossa querida cidade. Contudo, isto não é mera obra do destino,"Tudo que se  planta colhe". A  colheita, obviamente tem início, meio e fim.

O começo é smpre devagar, o meio é o auge e o fim é igual ao começo, mas com certo alívio e orgulho por se  tratar da conclusão do trabalho. Hoje colhemos o que plantamos no passado: plantamos negligência, hoje colhemos violência.

Nosso Brasil, por sua pequena densidade demográfica (se levarmos em conta o tamanho do país) apresenta dados e estatísticas sobre violência demasiadamente altos, e o que é pior: cada dia mais nossos filhos são influenciados por adultos marginais e aí temos adolescentes de apenas 12 anos já fumando e se drogando nas vilas. E de quem é a culpa? Do cidadão de bem? dos políticos? Das igrejas e religiões? Da polícia? A resposta é sim! Todos nós temos nossa parcela de culpa pelo fato de não sabermos eleger nossos representantes, por fazermos vista grossa aos problemas que mais cedo ou mais tarde se tornam "nossos" problemas.

Se a violência está tão alta e estamos agora simplesmente no início da colheita, como será então o meio da colheita? Pois aí está resultado do liberalismo exagerado nas escolas, nas ruas e nas igrejas. E o que na verdade vejo é uma política muito simplória que não investe na educação, presídios que não recuperam delinqüentes, escolas em que o aluno manda mais que o professor e igrejas pregando o materialismo, o individualismo e o consumismo.

Digo-lhes meus amigos, se continuarmos com esta  política os cidadãos acabarão se destuindo mutuamente. E ainda assim, encontramos políticos que dizem: "O povo só sabe criticar". Será que esses "políticos" querem que digamos amém? E assim nossos filhos correm risco de vida na própria escola...

Em contrapatida, temos na cidade de Inhumas um grande político o qual apostei e continuo apostando em seu sangue-novo nesta nova administração. Este é Abelardo Vaz Filho nosso prefeito atual. Sugiro então que juntemos famílias, igrejas, autoridades policiais, vizinhos e bairros, que façam  reflexão  e cobrem das demais autoridades políticas uma posição mais firme em relação à paz e segurança nas escolas e nos bairros. Sugiro também que cobremos das autoridades de segurança que assistam melhor nossos filhos, como alunos e, se necessário, que investigue se há estudantes entrando nas escolas com drogas, entorpecentes ou armas o que podem comprometer o futuro de nossos filhos. E não obstante que se faça dos presídios uma oficina de terapia ocupacional e uma casa de recuperação, e da  uma doutrina de amor, fé e não não financeira-materialista.

Este é  meu simples recado para meus amigos residentes na cidade de Inhumas, um recado que vem de um humilde cidadão que se preocupa com o futuro de nossos filhos, nossas famílias e de nossa amada cidade.
Que a paz de nosso Senhor Jesus Cristo reine em nossos corações!

Trajano Serravalli

COMENTÁRIOS

Comentar usando as redes sociais

Caixa de comentários TUDOIN


Resposta ao Comentário (Cancelar)

Lista de Comentários

Davi Seravali
28/12/2006 09:08

Brasil/Alemanha

Sobre o estreitamento das relações comerciais entre Brasil e Alemanha devido ao álcool como combustível, o que se pode esperar é um maior número de países que pretendem adotar esse produto, e, portanto, um número maior de parceiros comerciais com Goiás e, é claro, com o Brasil. Justamente agora, que surgem previsões catastróficas em relação às mudanças climáticas previstas para os próximos anos, é que devem aumentar o consumo do álcool e do biocombustível, principalmente nos meios de transporte, já que o petróleo será restrito a fabricação de plástico e outros derivados, e, consquentemente, não poluindo o meio ambiente. Já os produtores terão que deixar de atear fogo na lavoura da cana-de-açúcar para a sua retirada do solo, pois do contrário, não adiantaria nada esse biocombustível.